INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO

Olá amigos,

Esse blog é um espaço para a divulgação de notícias de uma forma geral envolvendo todo tipo de matéria sobre a comunicação e marketing católico.

Nos propomos a pesquisar tudo o que existe de matérias sobre a comunicação e marketing católico na web e em outras fontes de comunicação, concentrando-as nessa ferramenta que agora estamos disponibilizando, de forma a facilitar a pesquisa e coleta de informações pelas PASCOM de todas as Paróquias espalhadas pelo Brasil afora. Será também um espaço para divulgação de notícias das próprias PASCOM.

Dessa forma, esperamos que seja um meio onde se poderá encontrar, num só lugar, qualquer matéria publicada que envolva a comunicação e marketing dentro da nossa querida Igreja Católica.

Ajude-nos informando sobre suas atividades, eventos, seminários, encontros, retiros etc, que envolvam os meios de comunicação dentro da sua Paróquia, Vicariato ou Diocese.

Vamos à luta, com a graça de Deus e a força do Espírito Santo, pois COMUNICAÇÃO É EVANGELIZAÇÃO !

Por: José Vicente Ucha Campos

Contato:
jvucampos@gmail.com

sexta-feira, 22 de julho de 2016

JMJ NA POLÔNIA DEVE BATER RECORDE DE ALCANCES NAS MÍDIAS SOCIAIS


“A JMJ de Cracóvia será uma Jornada social. Esperamos 2 milhões de jovens. E se cada um deles tiver ao menos 500 amigos, eis que alcançar 1 bilhão de pessoas não é uma utopia. Centenas de milhares de pessoas poderiam ser atingidas pela mensagem de misericórdia lançada pela Polônia”. É o que afirma o Padre Pawel Rytel Adrianik, porta-voz da Conferência Episcopal polonesa (Cep), enquanto a cidade já está pronta para acolher o grande evento com o Papa Francisco.

A presença das mídias sociais terá um papel relevante na divulgação e sensibilização desse encontro, onde estarão, pela primeira vez, também jovens do Estado da Palestina, da Síria, do Iraque, do Sudão do Sul e do Kosovo. As catequeses em língua armênia e cambojana também são inéditas.

Espera-se para esta segunda JMJ em terras de São João Paulo II, alcances ainda mais surpreendentes nas mídias sociais, se comparado aos obtidos em Madrid e Rio de Janeiro.

A página da JMJ no Facebook, traduzida em 20 línguas, teve mais de 1,5 milhões de curtidas em todo o mundo. Por outro lado o Twitter, em 13 as línguas, conta com 220 mil seguidores. A hashtag para seguir o evento é #KRAKOW2016.

O videoclipe com o hino oficial do evento já foi visualizado no YouTube mais de 3,2 milhões de vezes. Números que devem continuar crescendo com o trabalho dos voluntários de 31 países comprometidos em levar, com as redes sociais, a mensagem da JMJ a todos os lugares, cobrindo todos os fusos horários.

Outras redes sociais

A JMJ também está presente no Instagram, Snapchat, Pinterest, Flickr e nas outras redes sociais menores. Além disto, para permitir aos participantes terem informações úteis durante a sua estadia em terras polonesas, foi projetado um aplicativo gratuito, disponível em nove línguas, e que compreende também um mapa e um guia móvel.

Fonte: Arqrio

sexta-feira, 1 de julho de 2016

TV CRIANÇA CATÓLICA - PRIMEIRA WEB TV DO BRASIL TOTALMENTE VOLTADA À EVANGELIZAÇÃO INFANTIL



Toda semana um novo episódio das séries
vai ao ar na terça-feira

A TV Criança Católica é uma obra do Apostolado Nossa Senhora de Fátima, sendo a primeira web TV do Brasil totalmente voltada à evangelização infantil.

Através da dramaturgia a web TV evangeliza crianças e famílias com vídeos e personagens envolventes.

São várias séries de TV disponibilizadas ao público através do youtube:

Histórias de Jesus – nessa série Joca e Clarinha contam histórias da vida de Jesus procurando aprender como viver a mensagem do Evangelho no dia a dia;

Jesus, meu amigão – na série Jesus conversa e aconselha Julinha, uma menina de 7 anos às voltas com seu temperamento e com os conflitos de seu cotidiano;

O que Jesus diria? – série onde Joca e Clarinha enfrentam o desafio de se comportar como crianças católicas frente aos ensinamentos de Jesus;

Hora da História – contação de histórias do Evangelho

Vamos Cantar – clipes musicais católicos especialmente preparados para as crianças;

Irmã Lúcia – através das dúvidas de Lucas a Irmã Lúcia explica as bases da fé.

A mais nova série da TV se chama Minuto Criança. São 6 episódios falando de comportamento na igreja e sobre rezar, o Anjo da Guarda e a importância de visitar o Sacrário.

Toda semana um novo episódio das séries vai ao ar na terça-feira.

Como assistir?

É só entrar no site:  www.tvcriancacatolica.com.br

Assista a um vídeo, como exemplo: 



terça-feira, 10 de maio de 2016

NOVIDADES NO APLICATIVO DA TV CANÇÃO NOVA


Aplicativo da TV Canção Nova para smartphones conta com novidades. Confira!


A TV Canção Nova utiliza-se das ferramentas tecnológicas para espalhar a Boa Nova ao mundo inteiro. E para que as pessoas possam experimentar o amor de Deus de maneira eficaz, aprimorou-se o aplicativo para smartphones da emissora.

Diversas melhorias foram realizadas no cache de imagens, contando também com a correção do áudio para aparelhos que exibiam apenas o vídeo que estão disponíveis para Android e iOS.



Novidades:

– Assista à programação da emissora em tela cheia sem precisar habilitar a rotação automática;

– Confira a grade de programação completa da TV;


– Visualize o calendário de programação;


– Encontre a listagem com todos os programas;


– Leia a descrição de todos os programas;


– Assista aos vídeos dos programas.



Baixe o aplicativo da TVCN e acompanhe os programas evangelizadores da emissora!


button-download-android

button-download-ios

Fonte: Canção Nova


segunda-feira, 9 de maio de 2016

5º ENCONTRO NACIONAL DA PASCOM EM APARECIDA - SÃO PAULO


O 5º. Encontro Nacional da Pascom tem por objetivo aprofundar a compreensão e o serviço da comunicação no campo da Liturgia da Igreja abrindo assim, um largo horizonte, para a articulação, animação e motivação para os membros da Pascom em todo o Brasil.

Nas quatro conferências principais e nos seis seminários oferecidos, estarão presentes  grandes nomes da Comunicação e da Liturgia na Igreja do Brasil.

Valor da inscrição R$ 55,00.

PÚBLICO


Agentes da Pascom que são os bispos, sacerdotes, leigos e leigas e ainda outros membros que formam a Pastoral Litúrgica nas dioceses, paróquias e comunidades.

TEMA


Comunicação e Liturgia

ANIMAÇÃO DA PASCOM


Na noite cultural do sábado, 16 de julho.


O LOCAL


Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida
Santuário Nacional de Aparecida
Avenida Dr. Júlio Prestes, s/n – CEP 12570-000 – Aparecida/SP
Atendimento: (12) 3104-2560 – eventos@santuarionacional.com |
site: www.a12.com/eventos


INSCRIÇÕES / PROGRAMAÇÃO / PALESTERAS / ACOMODAÇÕES / DEMAIS INFORMAÇÕES

Acesse o link:


segunda-feira, 18 de abril de 2016

APLICATIVO: A IGREJA MAIS PERTO DE VOCÊ


Este aplicativo tem o objetivo de afinar a “Cultura do Encontro”, conforme a proposta do Papa Francisco. Será um canal simples e leve, que facilitará a comunicação e a interação entre os padres e os fiéis. Além das funções de agenda, localidade e história de cada paróquia da Arquidiocese, o aplicativo também proporcionará que pessoas se unam em oração e mais uma gama de funcionalidades gostosas e funcionais para o seu dia a dia.

O aplicativo tem nele, as seguintes operacionalidades:


- A palavra do(s) Padre(s);
- Painel de Notícias / Informações
- Localização das Igrejas e sua história;
- Agenda das Igrejas;
- Unidos na Oração;

Receba vídeos que o Padre de sua Paróquia gravou com o próprio celular. Todos os fiéis que estiverem conectados recebem, na hora, notificações “push” avisando que há vídeo novo, e mensagens de fé e otimismo serão entregues.

Isso é, você e seu(s) padre(s) conectados 24 horas.


- Painel de informações
Você perdeu a missa, mas não precisa perder os acontecimentos de sua Igreja. No Painel você terá conteúdos onde poderá ficar por dentro das notícias e informações de sua igreja.


- Localização das Igrejas e sua história:
Turistas e pessoas que não conhecem a localidade que estão visitando terão um guia fiel para consumir de forma aprazível toda a história das igrejas e suas artes.
O aplicativo te avisará quando você estiver passando perto de uma Igreja, mostrará o caminho mais rápido e a história da Igreja de maneira fácil e surpreendente!


- Agenda das Igrejas:
Toda a agenda da Igreja, 24 horas a disposição dos fiéis.


- Unidos na Oração:
Digite o endereço de um irmão, o aplicativo abrirá um mapa em cima da localização que foi digitada, aparecerá a foto, ou a identificação do beneficiado. Ao tocar na foto os participantes da Unidos na Oração podem postar uma mensagem de voz para o necessitado.


Baixe agora gratuitamente!
iOS - https://goo.gl/djlx0H
Android: https://goo.gl/6dhT04


Fonte: ARQRIO

sábado, 12 de março de 2016

CNBB DIVULGA NOTA SOBRE O MOMENTO ATUAL DO BRASIL


No texto, os bispos recordam a necessidade de buscar o exercício do diálogo e do respeito

A Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nesta quinta-feira, 10, durante coletiva de imprensa, nota sobre o momento atual do Brasil aprovada pelo Conselho Permanente, reunido de 8 a 10 deste mês, na sede da Conferência, em Brasília. 

Na nota, a CNBB manifestou preocupações diante do momento atual vivido pelo país. "Vivemos uma profunda crise política, econômica e institucional que tem como pano de fundo a ausência de referenciais éticos e morais, pilares para a vida e organização de toda a sociedade".

Ainda no texto, a Conferência recordou a necessidade de buscar, sempre, o exercício do diálogo e do respeito. "Conclamamos a todos que zelem pela paz em suas atividades e em seus pronunciamentos. Cada pessoa é convocada a buscar soluções para as dificuldades que enfrentamos. Somos chamados ao diálogo para construir um país justo e fraterno", declara em nota.


Confira a íntegra do texto:

NOTA DA CNBB SOBRE O MOMENTO ATUAL DO BRASIL

“O fruto da justiça é semeado na paz, para aqueles que promovem a paz” (Tg 3,18)

Nós, bispos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil–CNBB, reunidos em Brasília-DF, nos dias 8 a 10 de março de 2016, manifestamos preocupações diante do grave momento pelo qual passa o país e, por isso, queremos dizer uma palavra de discernimento. Como afirma o Papa Francisco, “ninguém pode exigir de nós que releguemos a religião a uma intimidade secreta das pessoas, sem qualquer influência na vida social e nacional, sem nos preocupar com a saúde das instituições da sociedade civil, sem nos pronunciar sobre os acontecimentos que interessam aos cidadãos” (EG, 183).

Vivemos uma profunda crise política, econômica e institucional que tem como pano de fundo a ausência de referenciais éticos e morais, pilares para a vida e organização de toda a sociedade. A busca de respostas pede discernimento, com serenidade e responsabilidade. Importante se faz reafirmar que qualquer solução que atenda à lógica do mercado e aos interesses partidários antes que às necessidades do povo, especialmente dos mais pobres, nega a ética e se desvia do caminho da justiça.

A superação da crise passa pela recusa sistemática de toda e qualquer corrupção, pelo incremento do desenvolvimento sustentável e pelo diálogo que resulte num compromisso entre os responsáveis pela administração dos poderes do Estado e a sociedade. É inadmissível alimentar a crise econômica com a atual crise política. O Congresso Nacional e os partidos políticos têm o dever ético de favorecer e fortificar a governabilidade. 

As suspeitas de corrupção devem ser rigorosamente apuradas e julgadas pelas instâncias competentes. Isso garante a transparência e retoma o clima de credibilidade nacional. Reconhecemos a importância das investigações e seus desdobramentos. Também as instituições formadoras de opinião da sociedade têm papel importante na retomada do desenvolvimento, da justiça e da paz social.

O momento atual não é de acirrar ânimos. A situação exige o exercício do diálogo à exaustão. As manifestações populares são um direito democrático que deve ser assegurado a todos pelo Estado. Devem ser pacíficas, com o respeito às pessoas e instituições. É fundamental garantir o Estado democrático de direito.

Conclamamos a todos que zelem pela paz em suas atividades e em seus pronunciamentos. Cada pessoa é convocada a buscar soluções para as dificuldades que enfrentamos. Somos chamados ao diálogo para construir um país justo e fraterno.

Inspirem-nos, nesta hora, as palavras do Apóstolo Paulo: “trabalhai no vosso aperfeiçoamento, encorajai-vos, tende o mesmo sentir e pensar, vivei em paz, e o Deus do amor e da paz estará convosco” (2 Cor 13,11). 

Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, continue intercedendo pela nossa nação!

Brasília, 10 de março de 2016.


Dom Sergio da Rocha                              Dom Murilo S. R. Krieger
    Arcebispo de Brasília-DF                     Arcebispo de S. Salvador da Bahia-BA
   Presidente da CNBB                         Vice-Presidente da CNBB



      Dom Leonardo Ulrich Steiner
         Bispo Auxiliar de Brasília-DF
          Secretário-Geral da CNBB

Fonte: CNBB


sábado, 5 de março de 2016

CLICK TO PRAY - APLICATIVO PARA SE UNIR ÀS ORAÇÕES DO PAPA FRANCISCO


A Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração) continua a mostrar a sua decisão de aproximar a inovação e as novas gerações da Igreja. Agora lançou Click To Pray, uma nova plataforma (web e app móvel) com a qual convida os homens e mulheres do mundo inteiro a unirem-se às intenções do papa Francisco pelos desafios da humanidade.



Depois do lançamento da primeira campanha de comunicação realizada por um Papa, agora Francisco volta a ser notícia pelo lançamento de Click To Pray, com o desejo de dar a conhecer a Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração), difundir as suas intenções mensais e promover um ritmo de oração diária.

Click To Pray apresenta uma oração diferente para cada um dos 365 dias do ano, através das quais se pode rezar pelos desafios da humanidade e unir-se a diferentes culturas, idiomas e pessoas à volta desta causa universal. “Click To Pray convida os homens e mulheres de todo o mundo a acompanhar Francisco no novo caminho partilhado e digital, com o desejo que os continentes se unam para rezar juntos pelos grandes desafios deste mundo, e da missão da Igreja, expressos nas suas intenções”, disse o P. Frédéric Fornos, sj, Diretor Internacional da Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração).

Desenvolvida, desenhada e difundida pela La Machi, a agência de comunicação para boas causas, está disponível em inglês, espanhol, português e francês, quer para Android, quer para iOS, e foi pensada para que aqueles que se juntam possam acompanhar de modo fácil, rápido e quotidiano o Papa.

Uma primeira versão de Click To Pray foi lançada em 2014, em Portugal, através do Apostolado da Oração desse país. A primeira versão, que constitui a base para agora “globalizar” o projeto, já contava com uma comunidade de 87.000 pessoas de 138 países nos seus diferentes canais de oração.

A plataforma envia notificações para recordar o dia mundial de oração (primeira sexta-feira de cada mês) e propor um ritmo de oração de três vezes durante o dia: pela manhã, durante o dia e à noite. Com este lançamento, Francisco procura promover o espírito de diálogo e interação, para que cada utilizador de Click To Pray possa unir-se a milhares de pessoas e rezar pelas suas intenções e as de outros.

Sobre o Click To Pray

“Click To Pray. Juntos, cada dia é diferente”, é a plataforma oficial da Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração), lançada globalmente em Março de 2016 e disponível nos idiomas inglês, espanhol, português e francês. Click To Pray propõe orar pelos desafios da humanidade e da missão da Igreja expressos pelo Papa nas intenções de oração. A plataforma envia notificações para recordar o dia mundial de oração (primeira sexta-feira de cada mês) e propor um ritmo de oração de três vezes durante o dia: com Jesus pela manhã, durante o dia e à noite.

Mais informação em: https://clicktopray.org/

Sobre a Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração)

O Apostolado da Oração é a Rede Mundial de Oração do papa ao serviço dos desafios da humanidade e da missão da Igreja. A sua missão é orar e viver os desafios da humanidade que preocupam o Santo Padre, expressos nas suas intenções mensais. A visão desta rede é ser apóstolos na vida diária, através de um caminho espiritual chamado “O Caminho do Coração”, que transforma o modo de viver ao serviço da missão de Cristo. Foi fundado em 1844, está presente em mais de 100 países e mais de 35 milhões de pessoas integram a rede, incluindo o seu ramo juvenil, o Movimento Eucarístico Juvenil.

Mais informação em : http://www.apmej.org.

Sobre a La Machi

Fundada em 2012, La Machi é uma agência criativa de comunicação especializada em boas causas, com escritórios em Barcelona, Buenos Aires e Roma. A sua missão é ajudar as empresas, ONGs e instituições religiosas a comunicar através das boas causas. As suas áreas de serviço são Consultoria Estratégica em Comunicação, Criatividade Publicitária, Desenvolvimentos Digitais e Fundraising. Foi reconhecida como “Projeto Amigo da Rede” RIIAL e ganhou o Prémio Mercúrio para a melhor PME Internacional de Marketing de 2015 pela Associação Argentina de Marketing.

Mais informação em: http://www.lamachi.com.

Fonte: Aleteia

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O ENCONTRO NACIONAL DA PASTORAL DA COMUNICAÇÃO - 2016


Centenas de comunicadores de todo o Brasil são esperados para o 5º Encontro Nacional da Pastoral da Comunicação (Pascom), de 14 a 17 de julho, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP).  Entre eles, então bispos, sacerdotes, leigos e membros da Pastoral Litúrgica das dioceses, paróquias e comunidades. Os interessados devem fazer inscrição até 31 de maio pelo hotsite: encontronacionalpascom.cnbb.org.br.

Com o tema “Comunicação e Liturgia”, o evento tem como objetivo aprofundar a compreensão e o serviço da comunicação no campo da Liturgia da Igreja. Durante o encontro, estão previstas quatro conferências e seis seminários temáticos, com presença de estudiosos e especialistas da Comunicação e Liturgia. Haverá, ainda, noite cultural, no sábado, 16 de julho, com workshop “Mão na massa na comunicação católica!”.

De acordo com bispo auxiliar de Aparecida (SP) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Darci Nicioli, o Encontro é um espaço formativo e de evangelização. 

"É a Pastoral da Comunicação que se reúne na casa da Mãe Aparecida. Neste ano vamos tratar do tema Comunicação e Liturgia, pois é uma necessidade. Aquilo que cremos é o que nós rezamos. É muito importante que os nossos agentes da Pascom recebam capacitação para atuar nas bases, sendo esta a proposta principal do nosso encontro", explica do bispo. 

Entre os palestrantes está o bispo de Paranaguá (PR) e membro da Comissão para a Liturgia da CNBB, dom Edmar Peron, que possui mestrado em Teologia Dogmática e Liturgia, e o artista plástico, Claudio Pastro, com longa carreira dedicada a trabalhos de arte sacra. 

Saiba mais

Com a proposta de dinamizar a preparação do encontro, a Comissão Nacional lançou o hotsite do evento. Na página, é possível acessar a programação completa, além de sugestões para hospedagem. Os internautas têm também a oportunidade de conhecer os conferencistas internacionais e nacionais que estarão no evento. O hotsite apresenta um layout moderno e com fácil navegação pelos conteúdos e galerias.

De acordo com o assessor nacional da Comissão para a Comunicação da CNBB, padre Rafael Vieira, a expectativa é receber mais de 800 participantes de diversas regiões do país. Além disse, o sacerdote ressalta que o Encontro Nacional busca articular e animar a Pastoral da Comunicação na Igreja. "Acreditamos que o encontro será rico de conteúdo e um bonito espaço de comunhão entre os animadores da comunicação e da liturgia na Igreja do Brasil", pontua padre Rafael. 

Anote aí

5º Encontro Nacional da Pascom
Data: 14 a 17 de julho, em Aparecida (SP)

Fonte: ARQRIO



sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS: COMUNICAÇÃO E MISERICÓRDIA

Cidade do Vaticano (RV) – Foi publicada, nesta sexta-feira (22/01/16), na Sala de Imprensa da Santa Sé, a Mensagem do Papa para o 50° Dia Mundial das Comunicações Sociais, que acontecerá no domingo que precede a Festa de Pentecostes, dia 08 de maio de 2016, sobre o tema: «Comunicação e Misericórdia: um encontro fecundo».
Em sua Mensagem, Francisco recorda que o “Ano Santo da Misericórdia convida-nos a refletir sobre a relação entre a comunicação e a misericórdia.
Com efeito, a Igreja unida a Cristo, encarnação viva de Deus Misericordioso, é chamada a viver a misericórdia como característica do seu “ser e agir”. Tudo o que dizemos e o modo como dizemos, cada palavra e cada gesto, deveria expressar a compaixão, a ternura e o perdão de Deus para todos.
O amor, por sua natureza, frisa o Papa, é comunicação e leva a uma maior abertura, não isolamento. Se o nosso coração e os nossos gestos forem animados pela caridade, pelo amor divino, a nossa comunicação será portadora da força de Deus.
A linguagem e as ações da Igreja devem transmitir misericórdia, para tocar o coração das pessoas e sustentá-las no caminho rumo à plenitude da vida. Devemos acolher e irradiar o calor materno da Igreja, - disse o Pontífice - para que Jesus seja conhecido e amado; aquele calor que dá substância às palavras da fé e acende, na pregação e no testemunho, a “centelha” vivificante.
A comunicação enriquece a sociedade. Como é bom ver pessoas esforçando-se por escolher cuidadosamente palavras e gestos para superar as incompreensões, curar a memória ferida e construir paz e harmonia! As palavras têm o poder de criar pontes e favorecer o encontro e a inclusão entre as pessoas, as famílias, os grupos sociais, os povos. As palavras dos cristãos visam fazer crescer a comunhão e jamais romper o relacionamento e a comunicação.
Por isso, Francisco convida todos a redescobrirem o poder que a misericórdia tem de “curar as relações dilaceradas e restaurar a paz e a harmonia entre as famílias e nas comunidades”. A misericórdia é capaz de implementar um novo modo de falar e dialogar. É desejável que também a linguagem da política e da diplomacia se deixe inspirar pela misericórdia.
Aqui, o Papa faz um apelo, sobretudo aos que têm responsabilidades institucionais, políticas e de formação da opinião pública, para que sejam sempre vigilantes no modo de agir diante de quem pensa ou age de maneira diferente. É preciso coragem para orientar as pessoas diante de processos de reconciliação e soluções de conflitos por uma paz duradoura.
O estilo da nossa comunicação deve saber julgar em situações de pecado – violência, corrupção, exploração. É nosso dever admoestar quem erra, denunciando a maldade e a injustiça de certos comportamentos. É nosso dever principal afirmar a verdade com amor.
Somente as palavras pronunciadas com amor e acompanhadas pela mansidão e a misericórdia tocam os corações dos pecadores. Neste sentido, o
Santo Padre encoraja todos a encarar a sociedade humana como uma casa ou uma família onde a porta está sempre aberta para receber uns aos outros.
Comunicar significa partilhar e a partilha exige escuta, acolhimento proximidade. Escutar nunca é fácil: significa prestar atenção, desejo de compreender, dar valor, respeitar a palavra alheia; é uma graça imensa e um dom.
Por fim, Francisco recorda que também os e-mails, sms, redes sociais, chats podem ser formas de comunicação. As redes sociais são capazes de favorecer as relações e promover o bem da sociedade, mas podem também levar a uma maior polarização e divisão entre as pessoas e os grupos.
Com a sua Mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais o Papa espera que o “Ano Jubilar, vivido na misericórdia, nos torne mais abertos ao diálogo, para melhor nos conhecermos e compreendermos; elimine todas as formas de fechamento e desprezo e expulse todas as formas de violência e discriminação”.
Enfim, o encontro entre a comunicação e a misericórdia só será fecundo na medida em que puder gerar proximidade, cuidar, confortar, curar, acompanhar. Em um mundo dividido, fragmentado, polarizado, comunicar com misericórdia significa contribuir para a boa, livre e solidária proximidade entre os filhos de Deus e irmãos em humanidade. (MT)
Eis a Mensagem na íntegra:
Queridos irmãos e irmãs!
O Ano Santo da Misericórdia convida-nos a refletir sobre a relação entre a comunicação e a misericórdia. Com efeito a Igreja unida a Cristo, encarnação viva de Deus Misericordioso, é chamada a viver a misericórdia como traço característico de todo o seu ser e agir. Aquilo que dizemos e o modo como o dizemos, cada palavra e cada gesto deveria poder expressar a compaixão, a ternura e o perdão de Deus para todos. O amor, por sua natureza, é comunicação: leva a abrir-se, não se isolando. E, se o nosso coração e os nossos gestos forem animados pela caridade, pelo amor divino, a nossa comunicação será portadora da força de Deus.
Como filhos de Deus, somos chamados a comunicar com todos, sem exclusão. Particularmente próprio da linguagem e das ações da Igreja é transmitir misericórdia, para tocar o coração das pessoas e sustentá-las no caminho rumo à plenitude daquela vida que Jesus Cristo, enviado pelo Pai, veio trazer a todos. Trata-se de acolher em nós mesmos e irradiar ao nosso redor o calor materno da Igreja, para que Jesus seja conhecido e amado; aquele calor que dá substância às palavras da fé e acende, na pregação e no testemunho, a «centelha» que os vivifica.
A comunicação tem o poder de criar pontes, favorecer o encontro e a inclusão, enriquecendo assim a sociedade. Como é bom ver pessoas esforçando-se por escolher cuidadosamente palavras e gestos para superar as incompreensões, curar a memória ferida e construir paz e harmonia. As palavras podem construir pontes entre as pessoas, as famílias, os grupos sociais, os povos. E isto acontece tanto no ambiente físico como no digital. Assim, palavras e ações hão-de ser tais que nos ajudem a sair dos círculos viciosos de condenações e vinganças que mantêm prisioneiros os indivíduos e as nações, expressando-se através de mensagens de ódio. Ao contrário, a palavra do cristão visa fazer crescer a comunhão e, mesmo quando deve com firmeza condenar o mal, procura não romper jamais o relacionamento e a comunicação.
Por isso, queria convidar todas as pessoas de boa vontade a redescobrirem o poder que a misericórdia tem de curar as relações dilaceradas e restaurar a paz e a harmonia entre as famílias e nas comunidades. Todos nós sabemos como velhas feridas e prolongados ressentimentos podem aprisionar as pessoas, impedindo-as de comunicar e reconciliar-se. E isto aplica-se também às relações entre os povos. Em todos estes casos, a misericórdia é capaz de implementar um novo modo de falar e dialogar, como se exprimiu muito eloquentemente Shakespeare: «A misericórdia não é uma obrigação. Desce do céu como o refrigério da chuva sobre a terra. É uma dupla bênção: abençoa quem a dá e quem a recebe» (“O mercador de Veneza”, Ato IV, Cena I).
É desejável que também a linguagem da política e da diplomacia se deixe inspirar pela misericórdia, que nunca dá nada por perdido. Faço apelo sobretudo àqueles que têm responsabilidades institucionais, políticas e de formação da opinião pública, para que estejam sempre vigilantes sobre o modo como se exprimem a respeito de quem pensa ou age de forma diferente e ainda de quem possa ter errado. É fácil ceder à tentação de explorar tais situações e, assim, alimentar as chamas da desconfiança, do medo, do ódio. Pelo contrário, é preciso coragem para orientar as pessoas em direção a processos de reconciliação, mas é precisamente tal audácia positiva e criativa que oferece verdadeiras soluções para conflitos antigos e a oportunidade de realizar uma paz duradoura. «Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. (...) Felizes os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus» (Mt 5, 7.9).
Como gostaria que o nosso modo de comunicar e também o nosso serviço de pastores na Igreja nunca expressassem o orgulho soberbo do triunfo sobre um inimigo, nem humilhassem aqueles que a mentalidade do mundo considera perdedores e descartáveis! A misericórdia pode ajudar a mitigar as adversidades da vida e dar calor a quantos têm conhecido apenas a frieza do julgamento. Seja o estilo da nossa comunicação capaz de superar a lógica que separa nitidamente os pecadores dos justos. Podemos e devemos julgar situações de pecado – violência, corrupção, exploração, etc. –, mas não podemos julgar as pessoas, porque só Deus pode ler profundamente no coração delas. É nosso dever admoestar quem erra, denunciando a maldade e a injustiça de certos comportamentos, a fim de libertar as vítimas e levantar quem caiu. O Evangelho de João lembra-nos que «a verdade [nos] tornará livres» (Jo 8, 32). Em última análise, esta verdade é o próprio Cristo, cuja misericórdia repassada de mansidão constitui a medida do nosso modo de anunciar a verdade e condenar a injustiça. É nosso dever principal afirmar a verdade com amor (cf. Ef 4, 15). Só palavras pronunciadas com amor e acompanhadas por mansidão e misericórdia tocam os nossos corações de pecadores. Palavras e gestos duros ou moralistas correm o risco de alienar ainda mais aqueles que queríamos levar à conversão e à liberdade, reforçando o seu sentido de negação e defesa.
Alguns pensam que uma visão da sociedade enraizada na misericórdia seja injustificadamente idealista ou excessivamente indulgente. Mas tentemos voltar com o pensamento às nossas primeiras experiências de relação no seio da família. Os pais amavam-nos e apreciavam-nos mais pelo que somos do que pelas nossas capacidades e os nossos sucessos. Naturalmente os pais querem o melhor para os seus filhos, mas o seu amor nunca esteve condicionado à obtenção dos objetivos. A casa paterna é o lugar onde sempre és bem-vindo (cf. Lc 15, 11-32). Gostaria de encorajar a todos a pensar a sociedade humana não como um espaço onde estranhos competem e procuram prevalecer, mas antes como uma casa ou uma família onde a porta está sempre aberta e se procura aceitar uns aos outros.
Para isso é fundamental escutar. Comunicar significa partilhar, e a partilha exige a escuta, o acolhimento. Escutar é muito mais do que ouvir. Ouvir diz respeito ao âmbito da informação; escutar, ao invés, refere-se ao âmbito da comunicação e requer a proximidade. A escuta permite-nos assumir a atitude justa, saindo da tranquila condição de espectadores, usuários, consumidores. Escutar significa também ser capaz de compartilhar questões e dúvidas, caminhar lado a lado, libertar-se de qualquer presunção de omnipotência e colocar, humildemente, as próprias capacidades e dons ao serviço do bem comum.
Escutar nunca é fácil. Às vezes é mais cómodo fingir-se de surdo. Escutar significa prestar atenção, ter desejo de compreender, dar valor, respeitar, guardar a palavra alheia. Na escuta, consuma-se uma espécie de martírio, um sacrifício de nós mesmos em que se renova o gesto sacro realizado por Moisés diante da sarça-ardente: descalçar as sandálias na «terra santa» do encontro com o outro que me fala (cf. Ex 3, 5). Saber escutar é uma graça imensa, é um dom que é preciso implorar e depois exercitar-se a praticá-lo.
Também e-mails, sms, redes sociais, chat podem ser formas de comunicação plenamente humanas. Não é a tecnologia que determina se a comunicação é autêntica ou não, mas o coração do homem e a sua capacidade de fazer bom uso dos meios ao seu dispor. As redes sociais são capazes de favorecer as relações e promover o bem da sociedade, mas podem também levar a uma maior polarização e divisão entre as pessoas e os grupos. O ambiente digital é uma praça, um lugar de encontro, onde é possível acariciar ou ferir, realizar uma discussão proveitosa ou um linchamento moral. Rezo para que o Ano Jubilar, vivido na misericórdia, «nos torne mais abertos ao diálogo, para melhor nos conhecermos e compreendermos; elimine todas as formas de fechamento e desprezo e expulse todas as formas de violência e discriminação» (Misericordiae Vultus, 23). Em rede, também se constrói uma verdadeira cidadania. O acesso às redes digitais implica uma responsabilidade pelo outro, que não vemos mas é real, tem a sua dignidade que deve ser respeitada. A rede pode ser bem utilizada para fazer crescer uma sociedade sadia e aberta à partilha.
A comunicação, os seus lugares e os seus instrumentos permitiram um alargamento de horizontes para muitas pessoas. Isto é um dom de Deus, e também uma grande responsabilidade. Gosto de definir este poder da comunicação como «proximidade». O encontro entre a comunicação e a misericórdia é fecundo na medida em que gerar uma proximidade que cuida, conforta, cura, acompanha e faz festa. Num mundo dividido, fragmentado, polarizado, comunicar com misericórdia significa contribuir para a boa, livre e solidária proximidade entre os filhos de Deus e irmãos em humanidade.
                                                                                                                                                                                                        Papa Francisco
Fonte: Rádio Vaticano

terça-feira, 29 de dezembro de 2015


segunda-feira, 21 de dezembro de 2015


sábado, 12 de dezembro de 2015

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

CUIDADO COM AS DOCES PALAVRAS ATRIBUÍDAS FALSAMENTE AO PAPA FRANCISCO, ALERTA VATICANO


ROMA, 03 Dez. 15 (ACI/EWTN Noticias).- A página informativa do Vaticano em espanhol, News.Va Espanhol, pediu aos fiéis católicos que não caiam em confusões por falsas mensagens atribuídos ao Papa Francisco difundidas normalmente nas redes sociais, como Facebook, Twitter ou o serviço de mensagens por meio de WhatsApp.
“Estes tipos de textos que circulam por internet atribuídos ao Papa Francisco geralmente não mencionam a data e a ocasião na qual pronunciou essas palavras. Porque desta maneira, seria fácil para qualquer pessoa procurar na página oficial da Santa Sé e comprovar se realmente eram palavras do Papa”, explicou News.va em uma publicação no Facebook.
A página do Vaticano animou novamente a que, diante de uma notícia ou texto com um conteúdo estranho que faça menção ao Papa, “procurem as fontes vaticanas para ver se também aparecem ali”.
“Se as palavras atribuídas ao Papa não aparecem nos meios oficiais vaticanos, especialmente na página oficial da Santa Sé, pode ser que estas sejam falsas”, esclareceu.
Estes casos, explicou, parecem “um fenômeno através do qual, com certeza, muitos de vocês se encontraram: alguém lhes envia por Facebook ou WhatsApp, uma mensagem que começa com ‘Compartilho com vocês algo do Papa Francisco’. E, a seguir está um doce texto”.
Como exemplo, News.va mencionou este texto, fragmento de uma de tantas mensagens falsamente atribuídas ao Papa: “Muitas vezes o Natal é uma festa rumorosa: far-nos-á bem estar um pouco em silêncio, para ouvirmos a voz do Amor. Natal é você, quando decide nascer de novo, cada dia, deixando que Deus penetre seu interior. O pinheiro do Natal é você, quando resiste fortemente aos ventos e dificuldades da vida".
A primeira oração deste texto corresponde a um tweet do Santo Padre em dezembro de 2013: “Muitas vezes o Natal é uma festa rumorosa: far-nos-á bem estar um pouco em silêncio, para ouvirmos a voz do Amor”.
Muitas vezes o Natal é uma festa rumorosa: far-nos-á bem estar um pouco em silêncio, para ouvirmos a voz do Amor.