INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO

Olá amigos,

Esse blog é um espaço para a divulgação de notícias de uma forma geral envolvendo todo tipo de matéria sobre a comunicação e marketing católico.

Nos propomos a pesquisar tudo o que existe de matérias sobre a comunicação e marketing católico na web e em outras fontes de comunicação, concentrando-as nessa ferramenta que agora estamos disponibilizando, de forma a facilitar a pesquisa e coleta de informações pelas PASCOM de todas as Paróquias espalhadas pelo Brasil afora. Será também um espaço para divulgação de notícias das próprias PASCOM.

Dessa forma, esperamos que seja um meio onde se poderá encontrar, num só lugar, qualquer matéria publicada que envolva a comunicação e marketing dentro da nossa querida Igreja Católica.

Ajude-nos informando sobre suas atividades, eventos, seminários, encontros, retiros etc, que envolvam os meios de comunicação dentro da sua Paróquia, Vicariato ou Diocese.

Vamos à luta, com a graça de Deus e a força do Espírito Santo, pois COMUNICAÇÃO É EVANGELIZAÇÃO !

Por: José Vicente Ucha Campos

Contato:
jvucampos@gmail.com

quinta-feira, 16 de abril de 2015

"RÁDIO DA PAZ" ESTARÁ AO LADO DOS REFUGIADOS IRAQUIANOS

Uma emissora de rádio foi criada para os refugiados do norte do Iraque, membros de grupos étnicos e religiosos – cristãos e muçulmanos, curdos, xiitas e iezites – obrigados a abandonar suas casas frente à ofensiva dos jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico. É com este espírito que foi iniciou suas transmissões a Rádio al Salam, a 'rádio da paz', inaugurada em Irbil no último dia 5 de abril.
“Esta estação de rádio é para todos os que foram expulsos de suas casas; para todos os refugiados”, disse durante o primeiro programa o Padre Pascal Gollnisch, da Obra do Oriente (Oeuvre d'Orient), entidade a ‘Ajuda à Igreja que Sofre’, que financia a iniciativa com a Fundação Raoul Follereau.
“Como indica o nome – explica o sacerdote francês – é uma emissora de rádio para a paz, para dar uma ajuda concreta à vida cotidiana dos desalojados”.
A Rádio al Salam transmite de Ankawa, subúrbio da capital do Curdistão iraquiano cuja população é em maioria cristã e onde, desde 2014, vivem muitos iraquianos fugidos da Planície de Nínive.
Uma das iniciativas nos planos da rádio é um serviço de cadastro dos nascimentos em meio à multidão de refugiados nos acampamentos. Estima-se que os refugiados no norte do Iraque, desde o início do novo conflito, sejam mais de dois milhões. 
Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 15 de abril de 2015

PAPA TEM MAIS DE 20 MILHÕES DE SEGUIDORES NO TWITTER

Cidade do Vaticano (RV) - Um novo recorde virtual para o Papa Francisco: seus seguidores no Twitter superam os 20 milhões. Em menos de três meses, o Pontífice conquistou dois milhões de usuários. A cifra confirma uma tendência em relação à presença do Papa nesta rede social: a cada 40/45 dias, a conta “ganha” um milhão de novos inscritos.
Com o Papa Francisco, destaca-se que no seu primeiro tuíte (em 17 de março de 2013), os seguidores eram 3,3 milhões. Em 25 meses, acrescentaram-se outros 16,7 milhões.
JMJ - 2016
Com o aproximar-se da Jornada Mundial da Juventude de Cracóvia (Polônia), nota-se agora um aumento dos seguidores em polonês, a ponto de ser hoje, supreendentemente, a quinta língua mais “frequentada”, depois do espanhol, do inglês, do italiano e do português.
Além desses cinco idiomas, a conta @pontifex está disponível em francês, latim, alemão e árabe. 
Via: News.va

terça-feira, 14 de abril de 2015

PAPA FRANCISCO: A IGREJA NÃO FAZ "PUBLICIDADE" AO ANUNCIAR COM CORAGEM A CRISTO

                                                                   Foto Daniel Ibáñez / ACI Prensa

O cristão não faz um mero proselitismo nem publicidade mas, com a graça que concedida pelo Espírito Santo, anuncia a Jesus Cristo ao mundo, um anúncio que provoca e que permite ir para frente, afirmou o Papa Francisco na sua homilia desta manhã na capela da Casa Santa Marta.

Conforme relata a Rádio Vaticano, o Santo Padre refletiu na afirmação “nós não podemos deixar de falar o que vimos e o que ouvimos” fazendo referência a Pedro e João nos Atos dos Apóstolos. Ele explicou que o Espírito Santo é o “único capaz de dar-nos esta graça de ser corajosos para anunciar a Jesus Cristo”: “Esta coragem do anúncio é o que nos distingue do simples proselitismo. Nós não fazemos publicidade, diz Jesus Cristo, para ter mais ‘sócios’ na nossa ‘sociedade espiritual’, não? Isso não serve. Não serve, não é cristão. Aquilo que o cristão faz é anunciar com coragem, e o anúncio de Jesus Cristo provoca, por meio do Espírito Santo, aquela surpresa que nos faz seguir em frente”.

O verdadeiro protagonista disso tudo, considerou novamente o Papa, é o Espírito Santo. Quando Jesus fala em “nascer de novo”, disse, nos faz entender que é o “Espírito que nos muda, que vem de todos os quadrantes, como o vento: sentimos a sua voz”. E, prosseguiu: “somente o Espírito é capaz de mudar a nossa atitude e o nosso comportamento”, de “mudar a história da nossa vida, mudar a nossa pertença”.

O Pontífice recordou que Pedro e João, depois de realizarem um milagre, foram presos e ameaçados pelos sacerdotes para que não falassem mais em nome de Jesus. Mas eles não se amedrontam, e quando voltam junto dos seus irmãos, os encorajam a proclamar a Palavra de Deus “com franqueza”. E, pedem ao Senhor que considere as ameaças recebidas e conceda a seus servos “proclamar com toda franqueza”. 

“Também hoje a mensagem da Igreja é a mensagem do caminho da franqueza, do caminho da coragem cristã. Esses dois discípulos simples e iletrados – como diz a Bíblia – foram intrépidos. Uma palavra que se pode traduzir com ‘coragem’, ‘franqueza’, ‘liberdade de falar’, ‘não ter medo de dizer as coisas’ … É uma palavra que tem muitos significados no original. A parresìa, aquela franqueza … E do temor passaram à ‘franqueza’, a dizer as coisas com liberdade”.

O Espírito Santo, conclui o Santo Padre, é quem “dá esta força a estes homens simples e sem instrução” como Pedro e João, “esta força de anunciar a Jesus Cristo até o testemunho final: o martírio”.

“O caminho da coragem cristã é uma graça que o Espírito Santo doa. Existem tantos caminhos que podemos percorrer, e que também nos dão uma certa coragem. ‘Vejam que corajoso, que decisão tomou! E veja este, como realizou bem um plano, organizou as coisas, muito bem’: isso ajuda, mas é instrumento de uma coisa maior: o Espírito. Se não há o Espírito, podemos fazer tantas coisas, muito trabalho, mas não serve de nada”.

A Igreja depois da Páscoa “nos prepara para receber o Espírito Santo”. Por esta razão agora, “na celebração do mistério da morte e Ressurreição de Jesus, recordamos toda a história da Salvação” e “pedimos a graça de receber o Espírito para que nos dê a coragem verdadeira para anunciar a Jesus Cristo”.

Fonte: Acidigital

segunda-feira, 13 de abril de 2015

CIRCULA NO WHATSAPP BOATO SOBRE CIRURGIA DO PAPA FRANCISCO



Nos últimos dias, através da aplicação de mensagens WhatsApp, circulou um texto que alerta sobre um suposto problema de saúde do Papa Francisco, e pede orações urgentes por ele. Algumas versões da mensagem alertam sobre uma intervenção cirúrgica de urgência por uma hérnia.

Os mal-estares referidos nas mensagens fazem referência às leves indisposições que o Papa Francisco sofreu em meados de 2014. Entre elas a que o impediu de visitar o Hospital Policlínico Agostino Gemelli de Roma em 24 de junho do ano passado.

Nos últimos dias, o Papa Francisco realizou suas atividades com normalidade e participou da Audiência Geral de 8 de abril. No dia 10 de abril recebeu no Vaticano ao presidente da Georgia, com quem dialogou sobre a caridade e a educação.

Para evitar cair em boatos e confusões, o Vaticano recomenda recorrer sempre aos canais oficiais de informação da Santa Sé, como seu site oficial www.vatican.vawww.news.vabr.radiovaticana.va, e verificar notícias em sites católicos confiáveis.

Fonte: Acidigital

sexta-feira, 10 de abril de 2015

6 APLICATIVOS CATÓLICOS GRATUITOS PARA ANDROID


Se você ainda não tem um destes aplicativos em seu smartphone ou tablet, vai gostar de conhecê-los. Com funcionalidades desde acesso às informações da Igreja, documentos de estudo até agenda do Papa e visita virtual ao Vaticano.


Catecismo da Igreja Católica

Este aplicativo traz o Catecismo da Igreja Católica em sua versão normal e também na versão Compêndio (O Compêndio do Catecismo da Igreja Católica é um resumo do Catecismo da Igreja Católica, sob a forma de perguntas e respostas, publicado pela Igreja Católica em 2005, e que contém de forma resumida os principais elementos da doutrina e moral católicas.). Para baixar este aplicativo, clique aqui.


Documentos da Igreja

Este aplicativo apresenta os principais e documentos da Igreja Católica Apostólica Romana.
Código de Direito Canônico, Compêndio da Doutrina Social da Igreja, Concílio Vaticano II, Encíclicas, Carta Apostólica Porta Fidei. Para baixar este aplicativo, clique aqui.


Evangelho Diário

Este aplicativo apresenta a leitura do Evangelho do dia. É possível também a consulta do outros dias da semana e até mesmo do Evangelho de uma data em anos anteriores. Além disso tem as opções de consultar o Santo do dia e as cores Litúrgicas. É necessário conexão com a web. Para baixar este aplicativo, clique aqui.


Bíblia Católica

Não requer conexão com a internet para a utilização. Possui busca pelo nome do livro e pelo número do capítulo; Possibilidade de compartilhamento dos versículos nas redes sociais. Para facilitar a leitura há diferenças de cores entre os versículos. Para baixar este aplicativo, clique aqui.


Vatican

É App do site oficial da Santa Sé (www.vatican.va): contém o Magistério Pontifício e as informações institucionais da Sé Apostólica. Para baixar este aplicativo, clique aqui.


The Pope App

Aplicativo com notícias do Papa. Transmite ao vivo as celebrações presididas pelo Santo Padre. Permite acesso a fotos e vídeos do Papa, aos tweets da conta @Pontifex, aos textos integrais das homilias do Pontífice e o calendário de eventos. Também permite visitas virtuais gratuitas do Vaticano. É gratuito e está disponível em: ​I​taliano, ​I​nglês, ​Espanhol, ​Português e ​F​rancês. Para baixar este aplicativo, clique aqui.


Fonte: Catholicus
Via: Aleteia

quinta-feira, 9 de abril de 2015

17 DE MAIO - DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS



DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS 

O 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais propõe como tema "Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor”. O evento será celebrado no dia 17 de maio, domingo que antecede Pentecostes.

“Na família, é sobretudo a capacidade de se abraçar, apoiar, acompanhar, decifrar olhares e silêncios, rir e chorar juntos, entre pessoas que não se escolheram e todavia são tão importantes uma para a outra… é sobretudo esta capacidade que nos faz compreender o que é verdadeiramente a comunicação enquanto descoberta e construção de proximidade”, Papa Francisco.

Fonte: ARQRIO

terça-feira, 7 de abril de 2015

20 SITES QUE TODO CATÓLICO DEVERIA SEGUIR




Fonte: Catoliscopio.com

segunda-feira, 6 de abril de 2015

CANÇÃO NOVA APRESENTA NOVO PORTAL NO DIA 08 DE ABRIL


video

RÁDIO VATICANO SE PREPARA PARA TRANSMITIR A ASSEMBLÉIA DOS BISPOS NO BRASIL

Aparecida (RV) – A Rádio Vaticano se prepara para acompanhar a 53ª Assembleia Geral (AG) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), marcada de 15 a 24 de abril, em Aparecida (SP). Os bispos atualizarão as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) a partir da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium e das palavras dirigidas pelo Papa Francisco aos bispos no Rio de Janeiro (RJ), em julho de 2013.
O Programa Brasileiro, com Silvonei José, estará presente no encontro e informará os leitores e ouvintes com boletins e notícias cotidianamente.
Nova Presidência
Este ano, além da atualização das DGAE, os bispos terão a missão de eleger a nova Presidência da entidade, composta pelo Presidente, Vice e Secretário-geral; os Presidentes das doze comissões episcopais pastorais; além de delegados da CNBB para o Conselho Episcopal Latino Americano (CELAM) e para a XIV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, marcada para outubro deste ano, no Vaticano.
O Arcebispo de São Luís (MA) e vice-presidente da CNBB, Dom José Belisário da Silva explica que as Diretrizes Gerais da última Assembleia foram bem acolhidas pelas comunidades do Brasil. Cabe à Conferência colaborar com os bispos na dinamização da missão evangelizadora, “para melhor promover a vida eclesial, responder mais eficazmente aos desafios contemporâneos, por formas de apostolado adequadas às circunstâncias e realizar evangelicamente seu serviço de amor, na edificação de uma sociedade justa, fraterna e solidária, a caminho do Reino definitivo”, diz o texto.
As atuais DGAE contêm cinco urgências para a ação evangelizadora: Igreja em estado permanente de missão; Igreja: casa da iniciação à vida cristã; Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral; Igreja: comunidade de comunidades; e Igreja a serviço da vida plena para todos.
Assembleia Geral
O encontro anual do episcopado brasileiro  reúne mais de 450 Bispos, entre Cardeais, Arcebispos, Bispos auxiliares e eméritos, além dos que fazem parte das Igrejas de Rito Oriental. No total, serão 274 circunscrições eclesiásticas representadas.
Para o Bispo auxiliar de Brasília (DF) e Secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, a Assembleia geral é um momento de comunhão, de encontro, de alegria e de celebração da Igreja no Brasil: “A assembleia é um momento extraordinário para nós bispos. Essa troca de ideias, essa troca de afeto colegial. Imagina todos nós podermos celebrar juntos a Eucaristia? Todas as Igrejas particulares ali presentes na figura do Bispo. Isso é extraordinário!”, sugere.
Tema prioritário
Na grade de atividades da 53ª AG, está previsto o debate sobre o novo texto que trata dos cristãos leigos e leigas, preparado após recebimento de sugestões e emendas pela comissão responsável. Aprovado em 2014, o texto de Estudos 107, Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade – Sal da Terra e Luz do mundo, volta à pauta da reunião episcopal para nova avaliação.
No contexto dos 50 anos do Concílio Ecumênico Vaticano II, o Vice-presidente da CNBB considera que a Igreja vive em um momento de “plena consciência” de sua identidade como povo de Deus. “Acho que vivemos numa fase em que se toma plena consciência que a Igreja é o povo de Deus, e dentro do povo de Deus a maior parte é leigo, sem dúvida nenhuma. A hierarquia, os ministérios ordenados estão a serviço, são ministérios, então, a Igreja é fundamentalmente esse povo de Deus, e dentro desse povo de Deus, o povo que caminha no mundo que são os leigos e leigas”, explica.
(CM-CNBB)
Fonte: Rádio Vaticano

sábado, 4 de abril de 2015

A HISTÓRIA DO iPAD DO PAPA FRANCISCO

© MIGUEL ROJO / SABRINA FUSCO

O Papa Francisco não é muito fã de tecnologia, 

mas tinha um iPad. O que fazer com ele? 

Veja a solução que o Santo Padre encontrou



Uma casa de leilões de Montevidéu venderá um iPad utilizado pelo Papa Francisco para arrecadar cerca de 40 mil dólares e utilizar o dinheiro para ajudar uma escola católica do Uruguai. O leilão será feito no dia 14 de abril. O iPad do Papa tem uma inscrição: “Sua Santidade Francisco”.
 
A pergunta dos curiosos: por que o Papa Francisco tinha um iPad, se ele mesmo diz ser uma negação em matéria de tecnologia? Na verdade, alguns dias após o conclave que o elegeu, o diretor do serviço de internet do Vaticano, Dom Lucio Adrián Ruiz, deu o aparelho ao Pontífice.
 
Como Francisco praticamente não o utilizava, resolveu doá-lo ao Pe. Gonzalo Aemilius, conhecido seu, para que fosse de utilidade na instituição educativa que ele dirigia.
 
“Que seja de proveito da melhor maneira possível para a instituição.” Dito e feito: a escola precisa ampliar suas salas de aula para poder receber mais alunos, além de construir uma quadra poliesportiva. E este será o destino do valor arrecadado no leilão do famoso iPad do Papa.

Fonte: Aleteia

sexta-feira, 27 de março de 2015

O CASO "BABILÔNIA": O PROBLEMA MIDIÁTICO


Confiram o vídeo de formação a seguir, feito pelo Padre Augusto Bezerra (Facebook: pe.augustobezerra).

Nesta edição ele fala, a partir dos documentos da Igreja, dos problemas relacionados à mídia secular ao propagar e ensinar o mal como algo pertencente à normalidade da vida humana.

Um claro e absurdo exemplo disso é o caso da novela babilônia da Rede Globo de Televisão, que quer, através do poder de penetração que tem nos lares brasileiros, incutir nas mentes e vidas de seus assistentes, um projeto claro de destruição da família (conforme instituída por Deus), assim como colocar situações anormais e degradantes como se fossem coisas normais e um novo modo de viver e ver as coisas, que deve ser aceito pela população brasileira.

Todos os homens e mulheres de bem, independentemente de suas crenças, devem repudiar tal armadilha global e dizer um grande e sonoro NÃO a esses absurdos.

ESTAMOS DE OLHO !

Eis o vídeo do Pe. Augusto Bezerra:


quinta-feira, 26 de março de 2015

O SITE CATHOLIC-LINK LANÇA UMA SÉRIE ANIMADA SOBRE AS PREGAÇÕES DO PAPA FRANCISCO, VIA INTERNET


O site Catholic-Link lançou na última segunda-feira, dia 23 de março de 2015, a sua primeira série de animação dedicada ao pontificado do Papa Francisco. Seu nome é "Um minuto com Francisco" e se trata de uma produção bilíngue, em Inglês e Espanhol, que tem como objetivo levar os ensinamentos da Igreja, através da voz e do testemunho do Pontífice argentino, ao centro e às periferias do continente digital.

"A série é inspirada nos discursos e escritos do Santo Padre para dar vida a vários encontros e situações imaginárias onde a mensagem da Igreja chegará ao coração de muitas pessoas”, explica o diretor de Catholic-Link, Mauricio Artieda.

"Trabalhar essa série está sendo um belo e imenso desafio. Pedimos-lhes que rezem muito por nós já que o projeto nos ultrapassou desde o primeiro dia que o começamos”, acrescenta.

"Todos na equipe do Catholic-Link – assegura – estamos muito emocionados por esta nova produção”.

Acessando o vídeo abaixo você poderá ver o primeiro capítulo de "Um minuto com Francisco", intitulado "A família Otero nunca dorme com raiva”, que fala sobre as três palavras fundamentais para a convivência na vida doméstica: com licença, obrigado e perdão.



Fonte: Zenit

quarta-feira, 25 de março de 2015

VATICANO DIVULGA MENSAGEM PARA O 49º DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS



"Comunicar a família: “Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor” é o tema da mensagem para o  49º Dia Mundial das Comunicações Sociais. O evento será celebrado no dia 17 de maio, domingo que antecede Pentecostes. A íntegra do texto foi divulgada hoje, 23, durante coletiva de imprensa, no Vaticano.
Para a vivência e celebração do Dia Mundial das Comunicações Sociais, a Comissão Episcopal para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), prepara, todos os anos, um subsídio com orientações e sugestões de atividades para os regionais, dioceses, paróquias e comunidades.
O material é enviado as coordenações e lideranças da Pastoral da Comunicação (Pascom), responsáveis por articular e animar a comunicação nas igrejas locais. A Comissão orienta, também, o estudo do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil, que traz pistas de ação. Contato pelo e-mail: comsocial@cnbb.org.br
Família mais bela
A coletiva de apresentação da mensagem contou com a presença do presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, dom Claudio Maria Celli, a professora da Faculdade de Letras e Filosofia - Departamento de Ciências das Comunicações da Universidade Católica do Sagrado Coração de Milão (Itália), Chiara Giaccardi, e o professor da Faculdade de Ciências Políticas, Mario Magatti.
A reflexão proposta pelo papa Francisco está inserida no caminho sinodal da Assembleia Ordinária do Sínodo sobre a Família que acontecerá em outubro próximo. “A família mais bela, protagonista e não problema, é aquela que, partindo do testemunho, sabe comunicar a beleza e a riqueza do relacionamento entre o homem e a mulher, entre pais e filhos”, escreveu o papa na mensagem.
Confira íntegra do texto:

Mensagem de Sua Santidade o Papa Francisco
49º Dia Mundial das Comunicações Sociais
17 de Maio de 2015
Tema: 
“Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor”
O tema da família encontra-se no centro duma profunda reflexão eclesial e dum processo sinodal que prevê dois Sínodos, um extraordinário – acabado de celebrar – e outro ordinário, convocado para o próximo mês de Outubro. Neste contexto, considerei  oportuno que o tema do próximo Dia Mundial das Comunicações Sociais tivesse como ponto de referência a família. Aliás, a família é o primeiro lugar onde aprendemos a comunicar. Voltar a este momento originário pode-nos ajudar quer a tornar mais autêntica e humana a comunicação, quer a ver a família dum novo ponto de vista.
Podemos deixar-nos inspirar pelo ícone evangélico da visita de Maria a Isabel (Lc 1, 39-56). “Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou-lhe de alegria no seio e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Então, erguendo a voz, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre” (vv. 41-42).
Este episódio mostra-nos, antes de mais nada, a comunicação como um diálogo que tece com a linguagem do corpo. Com efeito, a primeira resposta à saudação de Maria é dada pelo menino, que salta de alegria no ventre de Isabel. Exultar pela alegria do encontro é, em certo sentido, o arquétipo e o símbolo de qualquer outra comunicação, que aprendemos ainda antes de chegar ao mundo. O ventre que nos abriga é a primeira “escola” de comunicação, feita de escuta e contato corporal, onde começamos a familiarizar-nos com o mundo exterior num ambiente protegido e ao som tranquilizador do pulsar do coração da mãe. Este encontro entre dois seres simultaneamente tão íntimos e ainda tão alheios um ao outro, um encontro cheio de promessas, é a nossa primeira experiência de comunicação. E é uma experiência que nos irmana a todos, pois cada um de nós nasceu de uma mãe.
Mesmo depois de termos chegado ao mundo, em certo sentido permanecemos num “ventre”, que é a família. Um ventre feito de pessoas diferentes, interrelacionando-se: a família é “o espaço onde se aprende a conviver na diferença” (Exort. ap. Evangelii gaudium, 66). Diferenças de géneros e de gerações, que comunicam, antes de mais nada, acolhendo-se mutuamente, porque existe um vínculo entre elas. E quanto mais amplo for o leque destas relações, tanto mais diversas são as idades e mais rico é o nosso ambiente de vida. O vínculo está na base da palavra, e esta, por sua vez, revigora o vínculo. Nós não inventamos as palavras: podemos usá-las, porque as recebemos. É em família que se aprende a falar na “língua materna”, ou seja, a língua dos nossos antepassados (cf. 2 Mac 7, 21.27). Em família, apercebemo-nos de que outros nos precederam, nos colocaram em condições de poder existir e, por nossa vez, gerar vida e fazer algo de bom e belo. Podemos dar, porque recebemos; e este circuito virtuoso está no coração da capacidade da família de ser comunicada e de comunicar; e, mais em geral, é o paradigma de toda a comunicação.
A experiência do vínculo que nos “precede” faz com que a família seja também o contexto onde se transmite aquela forma fundamental de comunicação que é a oração. Muitas vezes, ao adormecerem os filhos recém-nascidos, a mãe e o pai entregam-nos a Deus, para que vele por eles; e, quando se tornam um pouco maiores, põem-se a recitar juntamente com eles orações simples, recordando carinhosamente outras pessoas: os avós, outros parentes, os doentes e atribulados, todos aqueles que mais precisam da ajuda de Deus. Assim a maioria de nós aprendeu, em família, a dimensão religiosa da comunicação, que, no cristianismo, é toda impregnada de amor, o amor de Deus que se dá a nós e que nós oferecemos aos outros.
Na família, é sobretudo a capacidade de se abraçar, apoiar, acompanhar, decifrar olhares e silêncios, rir e chorar juntos, entre pessoas que não se escolheram e todavia são tão importantes uma para a outra… é sobretudo esta capacidade que nos faz compreender o que é verdadeiramente a comunicação enquanto descoberta e construção de proximidade. Reduzir as distâncias, saindo mutuamente ao encontro e acolhendo-se, é motivo de gratidão e alegria: da saudação de Maria e do saltar de alegria do menino deriva a bênção de Isabel, seguindo-se-lhe o belíssimo cântico do Magnificat, no qual Maria louva o amoroso desígnio que Deus tem sobre Ela e o seu povo. De um “sim” pronunciado com fé, derivam consequências que se estendem muito para além de nós mesmos e se expandem no mundo. “Visitar” supõe abrir as portas, não encerrar-se no próprio apartamento, sair, ir ter com o outro. A própria família é viva, se respira abrindo-se para além de si mesma; e as famílias que assim procedem, podem comunicar a sua mensagem de vida e comunhão, podem dar conforto e esperança às famílias mais feridas, e fazer crescer a própria Igreja, que é uma família de famílias.
Mais do que em qualquer outro lugar, é na família que, vivendo juntos no dia-a-dia, se experimentam as limitações próprias e alheias, os pequenos e grandes problemas da coexistência e do pôr-se de acordo. Não existe a família perfeita, mas não é preciso ter medo da imperfeição, da fragilidade, nem mesmo dos conflitos; preciso é aprender a enfrentá-los de forma construtiva. Por isso, a família onde as pessoas, apesar das próprias limitações e pecados, se amam, torna-se uma escola de perdão. O perdão é uma dinâmica de comunicação: uma comunicação que definha e se quebra, mas, por meio do arrependimento expresso e acolhido, é possível reatá-la e fazê-la crescer. Uma criança que aprende, em família, a ouvir os outros, a falar de modo respeitoso, expressando o seu ponto de vista sem negar o dos outros, será um construtor de diálogo e reconciliação na sociedade.
Muito têm para nos ensinar, a propósito de limitações e comunicação, as famílias com filhos marcados por uma ou mais deficiências. A deficiência motora, sensorial ou intelectual sempre constitui uma tentação a fechar-se; mas pode tornar-se, graças ao amor dos pais, dos irmãos e doutras pessoas amigas, um estímulo para se abrir, compartilhar, comunicar de modo inclusivo; e pode ajudar a escola, a paróquia, as associações a tornarem-se mais acolhedoras para com todos, a não excluírem ninguém.
Além disso, num mundo onde frequentemente se amaldiçoa, insulta, semeia discórdia, polui com as murmurações o nosso ambiente humano, a família pode ser uma escola de comunicação feita de bênção. E isto, mesmo nos lugares onde parecem prevalecer como inevitáveis o ódio e a violência, quando as famílias estão separadas entre si por muros de pedras ou pelos muros mais impenetráveis do preconceito e do ressentimento, quando parece haver boas razões para dizer “agora basta”; na realidade, abençoar em vez de amaldiçoar, visitar em vez de repelir, acolher em vez de combater é a única forma de quebrar a espiral do mal, para testemunhar que o bem é sempre possível, para educar os filhos na fraternidade.
Os meios mais modernos de hoje, irrenunciáveis sobretudo para os mais jovens, tanto podem dificultar como ajudar a comunicação em família e entre as famílias. Podem-na dificultar, se se tornam uma forma de se subtrair à escuta, de se isolar apesar da presença física, de saturar todo o momento de silêncio e de espera, ignorando que “o silêncio é parte integrante da comunicação e, sem ele, não há palavras ricas de conteúdo” (BENTO XVI, Mensagem do 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais, 24/1/2012); e podem-na favorecer, se ajudam a narrar e compartilhar, a permanecer em contato com os de longe, a agradecer e pedir perdão, a tornar possível sem cessar o encontro. Descobrindo diariamente este centro vital que é o encontro, este “início vivo”, saberemos orientar o nosso relacionamento com as tecnologias, em vez de nos deixarmos arrastar por elas. Também neste campo, os primeiros educadores são os pais. Mas não devem ser deixados sozinhos; a comunidade cristã é chamada a colocar-se ao seu lado, para que saibam ensinar os filhos a viver, no ambiente da comunicação, segundo os critérios da dignidade da pessoa humana e do bem comum.
Assim o desafio que hoje se nos apresenta, é aprender de novo a narrar, não nos limitando a produzir e consumir informação, embora esta seja a direção para a qual nos impelem os potentes e preciosos meios da comunicação contemporânea. A informação é importante, mas não é suficiente, porque muitas vezes simplifica, contrapõe as diferenças e as visões diversas, solicitando a tomar partido por uma ou pela outra, em vez de fornecer um olhar de conjunto.
No fim de contas, a própria família não é um objeto acerca do qual se comunicam opiniões nem um terreno onde se combatem batalhas ideológicas, mas um ambiente onde se aprende a comunicar na proximidade e um sujeito que comunica, uma “comunidade comunicadora”. Uma comunidade que sabe acompanhar, festejar e frutificar. Neste sentido, é possível recuperar um olhar capaz de reconhecer que a família continua a ser um grande recurso, e não apenas um problema ou uma instituição em crise. Às vezes os meios de comunicação social tendem a apresentar a família como se fosse um modelo abstrato que se há de aceitar ou rejeitar, defender ou atacar, em vez duma realidade concreta que se há de viver; ou como se fosse uma ideologia de alguém contra outro, em vez de ser o lugar onde todos aprendemos o que significa comunicar no amor recebido e dado. Ao contrário, narrar significa compreender que as nossas vidas estão entrelaçadas numa trama unitária, que as vozes são múltiplas e cada uma é insubstituível.
A família mais bela, protagonista e não problema, é aquela que, partindo do testemunho, sabe comunicar a beleza e a riqueza do relacionamento entre o homem e a mulher, entre pais e filhos. Não lutemos para defender o passado, mas trabalhemos com paciência e confiança, em todos os ambientes onde diariamente nos encontramos, para construir o futuro.
Vaticano, 23 de Janeiro – Vigília da Festa de São Francisco de Sales – de 2015.
Papa Francisco
Fonte: CNBB

ANUÁRIO ESTATÍSTICO REVELA CRESCIMENTO ESTÁVEL DA IGREJA CATÓLICA NO MUNDO


Cidade do Vaticano (RV) – O número de católicos no mundo e o número de sacerdotes e diáconos permanentes cresceram ligeiramente em 2013, enquanto o número de homens e mulheres nas ordem religiosas diminuiu, revelam as mais recentes estatísticas do Vaticano. Pelo segundo ano seguido, o número de vocações também caiu.

Os dados estão no Anuário Estatístico da Igreja, cuja última edição foi completada em fevereiro, publicada neste mês e que reúne os números da Igreja no mundo inteiro até 31 de dezembro de 2013.

População católica

No final de 2013, a população católica mundial passou a marca de 1,253 bilhões, um crescimento de aproximadamente 25 milhões ou 2%, superando a taxa de crescimento da população global que, em 2013, foi estimada em 1%. Portanto, os católicos representam cerca de 17,7% da população global.

Assim como foi apresentado em anos anteriores, o Anuário estima que cerca de 4,8 milhões de católicos não foram incluídos nas estatísticas porque vivem em países que não fornecem relatórios ao Vaticano como, por exemplo, China e Coreia do Norte.

As Américas concentram a maior porcentagem de católicos entre a população: 63,3%, seguidas pela Europa, com 39,9%. A Ásia tem a menor prevalência: 3,2%.

Em 2013 mais de 16 milhões de crianças e adultos foram batizados, revela o Anuário, que demonstra ainda uma tendência de queda no número de crianças batizadas como consequência das baixas taxas de natalidade na maioria dos países. “A proporção de crianças batizadas abaixo dos 7 anos em comparação ao número de católicos tem diminuído em todos os continentes desde 2008”, destaca um trecho do relatório.

Religiosos

Sobre o número de bispos, foram 40 a mais no período, cujo total subiu para 5,173. O número total de sacerdotes – diocesanos ou de ordens religiosas – no mundo inteiro cresceu de 414,313 para 415,348, com um crescimento estável dos sacerdotes diocesanos presentes na África, na Ásia e nas Américas – na Europa, todavia, este número continua a cair.

O número de diáconos permanentes – 43,195 – teve um incremento de mais de 1.000 em relação ao ano anterior.  O número de irmãos religiosos caiu ligeiramente de um total de 55,314 no final de 2012 para 55,253 no final de 2013.

O número de mulheres em ordens religiosas segue a tendência de queda. O total de 693,575 irmãs e freiras, temporária ou permanentemente professas, registrado em 2013 sofreu um decréscimo de 1,2% no último ano, 6,1% desde 2008. A maior queda neste período de cinco anos foi verificada na América do Norte, com uma queda de 16,6%, seguida pela Europa, com um decréscimo de 12,6%.

O número de candidatos ao sacerdócio – em seminários diocesanos e ordens religiosas – que iniciaram os estudos de filosofia e teologia segue em linha decrescente.

O número de seminaristas caiu  de 118,251 no final de 2013 quando comparado aos 120,051 do mesmo período de 2012. O número de seminaristas registra ligeira tendência de aumento a cada ano a partir de 2003 até 2011, quando eram 120,616 os vocacionados. 

Fonte: Rádio Vaticano

terça-feira, 24 de março de 2015

PESQUISA REVELA QUE IGREJA CATÓLICA É A TERCEIRA INSTITUIÇÃO DE MAIOR PRESTÍGIO NO BRASIL


De acordo com uma pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira (18/3/15), a imprensa e as redes sociais são as instituições de maior prestígio entre os brasileiros. Dos 2.842 entrevistados em 172 municípios, as duas mídias tiveram um empate técnico.

De acordo com a Folha de S.Paulo, a pesquisa foi realizada entre os últimos dias 16 e 17 de março. A imprensa aparece em primeiro lugar entre as instituições mais prestigiadas, citada por 65% dos entrevistados. Já as redes sociais, incluídas na pesquisa pela primeira vez neste ano, chegaram a 63%. Com a margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, configura-se um empate técnico.

Em terceiro lugar no ranking aparece a Igreja Católica (55%), seguida pelas Forças Armadas (45%), Igreja Universal do Reino de Deus (35%), o Poder Judiciário (34%) e os sindicatos de trabalhadores (28%). 

A Presidência da República e seus ministérios, que ocupava o terceiro lugar na última pesquisa feita em 2007, é hoje a oitava colocada no ranking (21%).

Entre as instituições menos prestigiadas pela sociedade, segundo a pesquisa, aparecem o Congresso Nacional (19%) e partidos políticos (18%). 

A imprensa lidera o ranking desde 2003, quando atingiu 71% da preferência dos entrevistados. Em 2005 e 2007, as taxas foram de 63% e 62%, respectivamente.

Fonte: Comunidade Shalom/Blog Carmadélio