INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO

Olá amigos,

Esse blog é um espaço para a divulgação de notícias de uma forma geral envolvendo todo tipo de matéria sobre a comunicação e marketing católico.

Nos propomos a pesquisar tudo o que existe de matérias sobre a comunicação e marketing católico na web e em outras fontes de comunicação, concentrando-as nessa ferramenta que agora estamos disponibilizando, de forma a facilitar a pesquisa e coleta de informações pelas PASCOM de todas as Paróquias espalhadas pelo Brasil afora. Será também um espaço para divulgação de notícias das próprias PASCOM.

Dessa forma, esperamos que seja um meio onde se poderá encontrar, num só lugar, qualquer matéria publicada que envolva a comunicação e marketing dentro da nossa querida Igreja Católica.

Ajude-nos informando sobre suas atividades, eventos, seminários, encontros, retiros etc, que envolvam os meios de comunicação dentro da sua Paróquia, Vicariato ou Diocese.

Vamos à luta, com a graça de Deus e a força do Espírito Santo, pois COMUNICAÇÃO É EVANGELIZAÇÃO !

Por: José Vicente Ucha Campos

Contato:
jvucampos@gmail.com

quinta-feira, 27 de agosto de 2015


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

TV CATÓLICA ESTÁ ENTRE AS MAIORES EMISSORAS DE TV ABERTA DO BRASIL


A partir de sólidos investimentos em infra-estrutura e qualidade, a TV Canção Nova está entre as maiores emissoras de televisão aberta no Brasil, sendo a principal entre as católicas.

A TV Canção Nova, emissora da Fundação João Paulo II, começou a operar como retransmissora da TVE do Rio de Janeiro, em 8 dezembro de 1989, às 10h. A TV Canção Nova transmitia a celebração da Santa Missa na Festa da Imaculada Conceição e o Jubileu de Prata sacerdotal de padre Jonas Abib, fundador da Comunidade Canção Nova.

Eram duas horas e quarenta minutos diários de programação própria para Cachoeira Paulista (SP) e cidades vizinhas.

Anos depois, essa programação também foi divulgada por outros canais, até começar a ser exibida via satélite pela TV Executiva Embratel. No entanto, era uma programação inconstante, com diferentes horários em diferentes dias e até em diferentes canais. Várias vezes, os nossos programas tinham de ser cortados, porque o tempo disponível se esgotava.

Os primeiros programas foram: “Prepare o seu coração”, “Vale vida”, “Som e Canção” e “Estou no meio de vós”, apresentado pelo monsenhor Jonas Abib. Todas as noites havia programa ao vivo.

Alguns missionários e colaboradores assumiram esse desafio, entre eles: Luzia Santiago, Elzinha Yoshie, Nice de Godoy, Carla Astuti. Alguns funcionários também faziam parte da equipe, entre eles: Newton Lorena, Marcos Bala, Danilo D’Angelo, Carlos Mariotto, André Gulla.

Em 1997, formou-se a Rede Canção Nova de Televisão com a compra da TV Jornal em Aracaju (SE). A partir daí, a TVCN pôde gerar a programação para todo o país por meio de repetidoras. Foi quando nasceu o Projeto ‘Dai-me Almas’.

Em 2007, com apenas dez anos de formação da rede, a TV Canção Nova estabeleceu-se como a maior emissora de televisão católica do Brasil.

A TV Canção Nova possui, em sua sede, em Cachoeira Paulista (SP),  cinco estúdios e três espaços para eventos, um deles com capacidade para cerca de 53 mil pessoas. Além de contar com três unidades móveis de geração e produção via satélite.

Diante desse crescimento, foi se formando uma programação baseada nos valores e nos princípios cristãos, bem diferente do cenário televisivo, a começar pelo fato de ser uma emissora que se mantém, principalmente, pela doação espontânea de seus telespectadores e colaboradores da Comunidade Canção Nova. Daí a importância dessas doações para a manutenção de tão importante canal de evangelização no Brasil, e também em algunsoutros  países pelo mundo afora..

Na TVCN, o telespectador encontra programas de todos os formatos, estilos e temas: espiritualidade, jornalismo, programas infantis, eventos, entrevistas, debates, música, entretenimento, cultura e promocionais.

A TV Canção Nova conta com duas geradoras: Aracaju (SE) e Cachoeira Paulista (SP); além de quatro geradoras afiliadas: Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC) e Brasília (DF) e 350 retransmissoras. Seu sinal atinge todo o território nacional por parabólica, TV por assinatura e operadoras de TV a cabo. Além disso, pode ser acompanhada em tempo real pelo site tv.cancaonova.com.

Fonte: Vida Nova

terça-feira, 25 de agosto de 2015

CONFERÊNCIA REÚNE ESTUDIOSOS PARA DISCUTIR COMUNICAÇÃO ECLESIAL


Considerado um pioneiro espaço de diálogo entre pesquisadores e pessoas interessadas na temática "mídia, comunicação e religião", a Conferência Brasileira de Comunicação Eclesial (Eclesiocom) chega a sua décima edição. Promovida pela Cátedra UNESCO da Universidade Metodista de São Paulo, o evento discute nesse ano o tema "Comunicação, Religião e Cidades", na próxima quinta-feira (27/08/2015), das 9h às 17h, na Universidade Paulista - Campus Indianápolis, em São Paulo (SP).

A programação do seminário oferece no período da manhã, três conferências temáticas com professores de renome no cenário nacional. À tarde, das 13h45 às 17h, ocorrem as apresentações científicas divididas em dez Grupos de Trabalho (GTs), que discutem diversas realidades no âmbito da comunicação e religião. 



Entre esses GT´s, o de “Religião, cidade e espaço público midiatizado”, traz a discussão sobre ‘O Papel da Comunicação na Configuração/Formatação das Cidades-Santuário de Aparecida (Brasil) e Fátima (Portugal)’. 
O artigo de autoria da jornalista, Flávia Gabriela, que atualmente é gerente de Comunicação Institucional no Santuário Nacional de Aparecida, pretende abrir reflexões sobre a comunicação realizada nesses Santuários.
“O meu artigo quer contribuir no âmbito acadêmico, com as discussões referentes às estruturas de comunicação criadas ao redor dos dois templos marianos, de Aparecida e Fátima e se essas estruturas influenciam no imaginário do visitante que aos Santuários acorrem, ou seja, como e de que forma eles são impactados pela comunicação que é feita pelos templos”, destacou a jornalista. A partir de sua pesquisa, Flávia Gabriela constatou que o visitante destes Santuários não consegue distinguir a realidade da cidade com a do Santuário. “Vemos que o aspecto devocional extrapola o âmbito urbano nos locais onde estão estes Santuários. Para o visitante não há uma divisão em termos de dimensão e, para ele, toda a cidade está envolvida nesse aspecto”. 
Estratégias comunicacionais no espaço religioso 
Ao discutir o tema da comunicação e religião nas cidades, o Eclesiocom favorece discussões sobre as estratégias comunicacionais utilizadas na atualidade pelas diferentes vertentes religiosas e como elas estão influenciando o seu receptor. Para Flávia Gabriela a temática do ano centralizada nas cidades irá abrir horizontes sobre as estratégias utilizadas nessa realidade. 
“O advento da comunicação e a maturidade da utilização das estratégias comunicacionais em projetos religiosos é uma realidade enfrentada e estudada pelas mais diferentes vertentes. Todos precisam se aprimorar, se especializar e se aprofundar no aspecto comunicação. Nesse sentido, como a própria apresentação do tema central do congresso nos direciona, ‘a cidade é o lugar multifacetado no qual fluxos comunicacionais e esperanças imaginadas se miscigenam em espectros desordenados’. Isso nos sugere entender a comunicação muito mais do que estratégia, mas como um universo a ser refletido e desvendado”, pondera a jornalista.
Para Flávia Gabriela, essa reflexão no âmbito da Igreja Católica, ganhou destaque a partir do Papa João Paulo II. “Especificamente no universo católico, a partir do papa João Paulo II, grandes têm sido os esforços para que haja o processo de amadurecimento desse conceito. Não basta comunicar, é necessário saber o que comunicar e qual o processo de compreensão dos que são impactados pela comunicação”. E acrescentou. “Nesse sentido não há dúvidas que Aparecida é destaque na criação de projetos e processos para que tais objetivos sejam alcançados”. 
Fonte: A12

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

PAULINAS: OUSADIA AO ANUNCIAR CRISTO NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

Neste espaço dedicado ao Ano da Vida Consagrada, hoje vamos conhecer o carisma das Irmãs Paulinas, que estão celebrando 100 anos de fundação.
O Brasil foi o primeiro país fora da Itália a receber as Paulinas. Hoje, são 221 religiosas trabalhando ao lado de quase 600 colaboradores leigos.
Para falar sobre a missão e a história da Congregação, Silvonei José entrevistou a Ir. Helena Corazza, Presidente da Signis Brasil.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

4º ENCONTRO DE BLOGUEIROS CATÓLICOS


A Arquidiocese do Rio realizará o “4º encontro de Blogueiros Católicos” na Paróquia Nossa Senhora da Esperança, em Botafogo, dia 22 de agosto, das 9h às 16h, na Rua Conde de Irajá, 465.

Com o tema “Blogueiros Católicos: o desafio de ser Igreja em saída” o encontro terá palestras, partilha e networking. As palestras serão proferidas pelo coordenador arquidiocesano de pastoral, monsenhor Joel Portella Amado, que falará sobre a missão dos blogueiros em difundir os valores cristãos, ainda que seus canais versem sobre temas diversos dos religiosos, e pelo publicitário Marco Cazumba, que irá proferir sobre Marketing de Conteúdo, abordando pontos essenciais para o bom desempenho dos blogs nas mídias sociais, com destaque aos aspectos que precisam ser levados em consideração para manter-se fiel os valores cristãos.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo linkHttp://goo.gl/092FI4.

Fonte: ARQRIO

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

COMISSÃO LANÇA PROGRAMA DE RELACIONAMENTO PASTORAL - CONEXÃO PASCOM


Conexão Pascom é a mais nova iniciativa da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Trata-se de um Programa de Relacionamento Pastoral, criado com o objetivo de integrar os agentes da Pastoral da Comunicação que atuam nas paróquias, dioceses e regionais da Igreja no Brasil. O Programa foi lançado durante o 9ª Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom), ocorrido de 15 a 19 de julho, em Vitória (ES).
Inicialmente, pretende-se montar um Cadastro Nacional dos agentes de pastoral da Pascom das dioceses. Até o momento já estão inscritas 760 pessoas no Conexão Pascom. A coleta de dados é realizada de forma simples, por meio de planilha online, com a colaboração dos agentes no preenchimento do cadastro e, posteriormente, envio à Comissão. As informações coletadas ficarão disponíveis na base nacional, facilitando as atualizações cadastrais.
O bispo auxiliar de Aparecida (SP) e presidente da Comissão para a Comunicação, dom Darci Nicioli, explica que o Conexão Pascom busca atender a necessidade de uma maior integração dos planos de pastoral no campo da comunicação. “Responde ao apelo de ampla capilaridade na divulgação das informações produzidas pela Igreja e contribui para facilitar a mobilização dos agentes de Pastoral da comunicação em todo o país”, comenta dom Darci.
Cadastro nacional
Podem se inscrever pessoas engajadas no trabalho de Pastoral da Comunicação nas paróquias e comunidades, como membros de organizações católicas atuantes na comunicação. Também são considerados agentes os responsáveis pelas secretarias das paróquias e os profissionais católicos das diversas áreas da comunicação interessados em se conectar com as iniciativas da Igreja nesse campo.
De acordo com o assessor nacional da Comissão para a Comunicação da CNBB, padre Rafael Vieira da Silva, o cadastro contribuirá para o diálogo com os agentes da Pascom que atuam na base das comunidades, sendo uma forma de compartilhar os projetos da Comissão. “É um programa de relacionamento e nosso desejo é que ele cresça e se consolide. Por meio da ferramenta, também queremos ouvir e acolher as iniciativas de comunicação que estão sendo desenvolvidas na Igreja no Brasil”, explica.
O assessor revela, ainda, que uma das ações do Programa será o envio de Newslatter aos agentes cadastrados, com informações dos projetos e desafios da Comissão para a Comunicação. A proposta dessa primeira atividade é aquecer o relacionamento pastoral da Pascom. “Queremos que todos os agentes estejam de algum modo empenhados na realização dos nossos projetos e possam contar com essa ferramenta que é o Conexão Pascom”.
A Comissão para a Comissão pede o apoio das coordenações da Pascom para motivar os agentes a realizar o cadastro nacional online. Clique e acesse a planilha. 
Fonte: CNBB

sábado, 25 de julho de 2015

COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO PAROQUIAL HOJE EM DIA?


A escassez de recursos parece ser a resposta imediata que enterra qualquer projeto de comunicação em paróquias e instituições da Igreja. Mas a comunicação sustentável e de qualidade é possível e pode até gerar recursos para apoiar outros projetos pastorais!

Segundo as jovens argentinas Flor Tapia Gómez e Magui Alonso, fundadoras da empresa social Golondrina (“Andorinha”, em espanhol), a comunicação das paróquias precisa ser atrativa no formato e no conteúdo para se tornar uma ferramenta que melhore o bem-estar humano de maneira sustentável.

E como gerar uma comunicação sustentável dentro das instituições da Igreja? Algumas dicas iniciais das especialistas da Golondrina:


- Criar um Plano de Comunicação: um projeto sustentável precisa ter objetivos bem claros. 
  
- Criar equipes de comunicação com voluntários, mas garantindo que ao menos um deles tenha os conhecimentos necessários em comunicação. 
  
- Levantar fundos usando a própria ferramenta de comunicação, tornando-a autossustentável: por exemplo, livretos com patrocinadores, revistas formativas com anunciantes e assinantes, eventos pontuais como palestras bancados por doadores...


Um caso prático:

Na paróquia Puríssima de Pacheco, de San Isidro, na Argentina, a equipe da revista paroquial “Encuentro” sustentou as edições só com publicidade local. Eles fizeram um planejamento anual das tiragens e organizaram ações sustentadas com o apoio dos anunciantes.

A própria revista se tornou um canal de comunicação excelente para conseguir doações, já que divulgou melhor as obras da paróquia e a sua importância para a comunidade, além de convocar novos voluntários para colaborar com os diversos projetos pastorais.

Os textos chegam a clubes, farmácias e padarias de todo o bairro, que são lugares de boa circulação. A revista atinge públicos que outros meios de comunicação não atingem: por exemplo, a terceira idade, que tem menor presença nas redes sociais.

A revista “Encuentro” leva conteúdo positivo e cheio de esperança e alegria cristã também ao hospital da cidade, a pessoas que estão sozinhas e tristes. E não serve apenas como companhia e meio de reflexão para quem não tem acesso a outros meios, mas também como instrumento de missão, já que os voluntários que distribuem a revista passam um tempo conversando e lendo algumas matérias para as pessoas internadas.

E, é claro, a revista também entra nos lares, levando imagens e mensagens que podem ser compartilhadas por toda a família.

Como o plano de comunicação pode chegar a todos?


- Primeiro, é fundamental definir quem são esses “todos” aos quais o plano se dirige. Por exemplo, a paróquia de um bairro carente pode querer comunicar-se com a própria comunidade; para isto, uma boa ferramenta podem ser os folhetos semanais. Já se o objetivo é conseguir doações para sustentar ações pastorais, é preciso comunicar-se com pessoas em condições financeiras de dar apoio, o que demanda outra estratégia: por exemplos, palestras para convidados sobre temas relevantes, apresentando de maneira integrada ao tema o projeto para o qual se precisa de apoio. 
  
- É importante levar em conta que os meios de comunicação mudam permanentemente: as formas de se chegar a determinado público podem se alterar num prazo curto. Por exemplo, há 5 anos, os jovens estavam presentes principalmente no Facebook. Hoje, porém, é muito mais provável encontrá-los no Instagram. 
  
- O plano deve ser segmentado conforme os diversos públicos-alvo, sabendo que a lógica de contato com cada grupo é diferente e, além disso, muda constantemente. 
  
- As ações de comunicação devem ser avaliadas com frequência, para se analisar como elas estão impactando e que resultados cada ferramenta está dando. 
  
- Cada canal e público tem sua própria linguagem: o jeito de comunicar-se na revista é diferente do jeito das redes sociais; a linguagem com os jovens é diferente da linguagem com os avós. 
  
- Em palavras do papa Francisco, é preciso garantir que se chegue às periferias. A comunicação deve ser atrativa para todos, não só para quem vai à missa todos os domingos. A paróquia tem de se comunicar inclusive (e quase fundamentalmente) com os não crentes.

Além do planejamento e da sustentabilidade, que outros conselhos são fundamentais?


- Ter vários meios de comunicação, que sejam “lugares de encontro na diversidade”. 
  
- Paróquias, movimentos, congregações e demais instituições católicas precisam se propor a transmitir e chegar aos corações, não só às cabeças: é importante comover para mover; testemunhar com exemplos práticos, vivos, reais, concretos. 
  
- É crucial “contar histórias”, histórias da vida real, as milhares de histórias que existem nas comunidades e que são testemunhos de fé viva e de amor. 
  
- Não ficar só na linguagem eclesial: os canais devem ser multidirecionais, falando a linguagem mais adequada para cada público, mas sem jamais perder a identidade católica.

Fonte: Aleteia

sexta-feira, 24 de julho de 2015

EVANGELIZAR COM HUMILDADE: UM DESAFIO DIÁRIO PARA QUEM FAZ COMENTÁRIOS NAS REDES SOCIAIS



"Ide e pregai o evangelho a toda criatura" nos autoriza e nos incentiva a levar a Palavra de Deus a todo o mundo: algo de muito nobre que todo católico deve fazer. Ao contrário do que pode parecer à primeira vista, a evangelização não é só pregar e defender a Bíblia. É muito mais do que isso e pode acontecer nos gestos mais simples. Nossa Senhora foi dona-de-casa. Há algo mais simples que isso? Madre Teresa de Calcutá agia muito mais do que falava. Evangeliza-se das mais variadas - e simples - formas no dia-a-dia.

Infelizmente, até nisto existe tentação. A pior delas não é a preguiça, a falta de conhecimentos ou falta de coragem. O que mais atrapalha é a falta de humildade: quando a pessoa chega a um ponto em que, por estar do lado da Verdade, assume a postura de que ela está sempre certa e quem pensa o contrário está sempre errado. Neste momento, deixou-se de ser evangelizador.

Obviamente, não existem duas verdades: a verdade é uma só ou não é verdade. O problema é a arrogância. A melhor forma de evangelizar, e ouso arriscar que é a única que funciona, é ser humildes. O papa Francisco dá um belo exemplo disso. Ele, que não tem muitas travas na língua e fala sempre o que pensa, é de uma gentileza enorme ao lidar com pessoas e problemas. Não acusa ninguém, não ofende ninguém, ouve a todos com a mesma paciência e calma e suas respostas são ponderadas e tranquilas. Por isso mesmo, repercutem no mundo inteiro. Ele repete o exemplo de Jesus Cristo, que não tinha a postura do “Eu estou certo e você errado” quando tratava os maiores pecadores.

Um local fácil de verificar essa tentativa de evangelização arrogante são os comentários das redes sociais, principalmente quando, de algum forma, o assunto aborda algo relativo à religião. Não é preciso ler muitos comentários para encontrar trocas de acusações e ofensas. Até se percebe o intuito de defender pontos-chaves, mas, quando se passa dos limites da humildade e do respeito, acontecem agressões. E nem é preciso dar explicações teológicas para demonstrar que isto não funciona. Basta pensar que ninguém gosta de ser agredido.

Evangelizar é parte crucial da vida católica. A humildade é parte crucial da evangelização.

Fonte: Aleteia

terça-feira, 14 de julho de 2015





quinta-feira, 2 de julho de 2015

PAPA FRANCISCO CRIA SECRETARIA PARA A COMUNICAÇÃO DO VATICANO


VATICANO, 02 Jul. 15 - O Papa Francisco instituiu no sábado, 27 de junho, a Secretaria para a Comunicação do Vaticano através de um Motu Proprio, um decreto assinado por ele mesmo.

Em um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé, assegura-se que “o atual contexto comunicativo, caracterizado pela presença e o desenvolvimento dos meios digitais e por fatores de convergência e de interatividade, requer repensar o sistema informativo da Santa Sé”, por isso, “se compromete a uma reorganização que, pondo em valor tudo o que na história se desenvolveu na área da comunicação da Sé Apostólica, proceda decididamente para uma integração e gestão unitária”.

Neste sentido, o Papa Francisco assegurou no documento que decidiu “que todas as realidades, que de diferentes maneiras até hoje se encarregaram da comunicação, sejam reunidas em um novo Dicastério da Cúria Romana, que será denominado Secretaria para a Comunicação”.

Dessa forma, “o sistema comunicativo da Santa Sé responderá sempre melhor às exigências da missão da Igreja”.

O Santo Padre assinalou que institui esta Secretaria “depois de ter examinado relações e estudos, e recebido recentemente o estudo de viabilidade, além de escutado o parecer unânime do Conselho de Cardeais”.

Francisco também designou as pessoas que trabalharão na Secretaria para a Comunicação. O Prefeito será Dom Dario Eduardo Viganò, Diretor do Centro Televisivo Vaticano, e o Secretário Dom Lucio Adrián Ruíz, chefe de escritório do Serviço de Internet. O Diretor Geral será Paolo Nusiner, Diretor Geral do Avvenire, o jornal da Conferência Episcopal Italiana, e o Vice-diretor geral Giacomo Ghisani, Chefe de Escritório das Relações Internacionais e Assuntos Legais de Rádio Vaticano, e membro do Conselho de Administração do Centro Televisivo Vaticano.

O novo Dicastério se regerá por uma série de normas consignadas no Motu Proprio. Entre elas se estabelece que do novo Dicastério farão parte o Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais; a Sala de Imprensa da Santa Sé; o Serviço de Internet; Rádio Vaticano; o Centro Televisivo Vaticano; o periódico oficial da Santa Sé, L’Osservatore Romano; a Tipografia Vaticano; o Serviço Fotográfico; e a editora do Vaticano, a Libreria Editrice Vaticano.

Estes organismos deverão continuar trabalhando em suas atividades, mas atendendo às indicações da nova Secretaria para a Comunicação.

Além disso, o novo Dicastério assumirá a página Web oficial do Vaticanowww.vatican.va e a conta no Twitter do Papa, @Pontifex.

A Secretaria iniciou suas funções na segunda-feira 29 de junho, Solenidade de São Pedro e São Paulo.

Fonte: Acidigital

terça-feira, 16 de junho de 2015

A TV CANÇÃO NOVA COM VOCÊ ONDE ESTIVER


A emissora católica está nas redes sociais e possui 
aplicativo exclusivo para o telespectador.
Já faz algum tempo que o celular era utilizado apenas para ligações e mensagens, não é mesmo? Hoje o objeto é sonho de consumo de muitos e está cada dia mais moderno e com mais recursos. Acompanhando as novas tecnologias, a TV Canção Nova proporciona ao telespectador notícias exclusivas, programação, fotos e vídeos por meio do seu novo aplicativo e também nas redes sociais.

A televisão sempre fez parte da vida dos brasileiros como forma de entretenimento e informação. Com a correria cotidiana, graças à facilidade de acesso à internet pelos aparelhos móveis, como o smartphone, é possível se divertir, aprender diversos conteúdos, falar com os amigos nas redes sociais e até assistir aos programas favoritos na tela do celular com a ajuda dos aplicativos.
A emissora, cuja missão é levar a Palavra de Deus pelos meios de comunicação, sempre atenta às necessidades dos cristãos, se empenha para oferecer ao internauta qualidade de conteúdo e, principalmente, interatividade. Desde 2010 os telespectadores contam com uma página da TVCN no Facebook, na qual ficam por dentro das estreias e dos temas dos programas, veem vídeos, comentam e compartilham a programação. Hoje a página já possui mais de três milhões de seguidores.
“O trabalho e a missão das redes sociais da Canção Nova é levar a um número maior possível de pessoas todo o nosso conteúdo evangelizador de forma dinâmica e interativa. E para isso interagimos com o nosso público pelos comentários, e podemos também ouvi-los. Não se trata apenas de enviarmos um conteúdo às pessoas, mas também de obter esse retorno para sabermos o que mais lhes agrada ou não e quais são as suas necessidades”, relata a integrante do setor de estratégia nas redes sociais, Regiane Calixto.
Celular TVCN
(Foto: Arquivo CN)
Ter a possibilidade de acesso à programação da televisão diretamente no celular e assistir ao vivo os programas com comodidade e alta qualidade são as vantagens do aplicativo da TV Canção Nova.
Com mais 48 mil downloads, o software é gratuito para o sistema operacional Android e iOS, e o telespectador tem em sua mão, de forma ainda mais acessível e intuitiva, onde quer que ele esteja, detalhes da grade da emissora e a opção de compartilhamento do conteúdo nas redes sociais, tornando a navegação e a interação mais próximas de todos.
Por: Larissa Sene (Da Redação)
Fonte: Canção Nova

segunda-feira, 15 de junho de 2015

A IGREJA CATÓLICA DIANTE DAS NOVAS REALIDADES DA COMUNICAÇÃO



É possível entender que as novas tecnologias, inclusive as novas formas de comunicação, estão estritamente relacionadas e têm interferência direta na constituição dessa nova cultura, a da comunicação. E nessa realidade, como se posiciona a Igreja? Estaria ela preparada a evangelizar, utilizando-se dessa nova linguagem?
A Igreja Católica, desde o florescer das novas tecnologias, vem incentivando o desenvolvimento e o fortalecimento da Pastoral da Comunicação. Documentos como Communio et Progressio, da Comissão Pontifícia para as Comunicações Sociais (1971), e o Estudo 101 da CNBB (2011) comprovam essa hipótese. Ainda teremos a oportunidade de navegar sobre outros documentos e textos eclesiais que falam sobre a Comunicação.
Mas voltando às novas realidades da comunicação, o advento das novas tecnologias evidenciou ainda mais a necessidade desses instrumentos para a Evangelização. É preciso se aproximar desse novo sujeito contemporâneo e reconhecer que a comunicação, inclusive as “new media”, é um importante instrumento para proclamar a mensagem evangélica.
Padre Zezinho, em uma de suas obras, afirma que há 30 ou 40 anos, as igrejas tinham apenas a força do púlpito ou de algum periódico. Hoje, porém, o púlpito se ampliou, sendo necessário se preparar para bem comunicar. “Se ontem era o púlpito que levava às antenas, hoje são as antenas que mais gente levam aos templos para ouvir a voz que vem do púlpito”. (Do púlpito para as antenas: a difícil transição. p. 10).
Um pensamento válido para os dias atuais, desde que se obedeça a um ponto fundamental: não basta apenas comunicar, é preciso saber o que comunicar e como comunicar.
A Igreja Católica Apostólica Romana tem uma história de mais de dois mil anos. Uma tradição que, ao longo dos séculos, vem contribuindo e defendendo o desenvolvimento do ser humano na sua integridade. Sendo Jesus Cristo o centro, a Igreja tem por princípio anunciar a Palavra de Deus para todos os homens, conforme mandamento bíblico: “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulas, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-lhes a observar tudo o que vos ordenei!”. (Mt 28, 19-20a).
Contudo, como os Bispos reunidos em Aparecida em 2007 já alertaram, vive-se um tempo de transformações profundas, que afetam a todos. Mudanças que não ficam apenas no campo geográfico, mas também social, ético, científico, tecnológico e, especialmente, cultural. Não é apenas uma época de mudanças, mas uma “mudança de época, e seu nível mais profundo é o cultural”. (Aparecida, 44).
Enfim, experimenta-se um novo tempo, buscam-se novos valores e conceitos. Surgem transtornos. O Homem vale menos do que as coisas.
 
E não há como a Igreja fugir ou se abster, é preciso dialogar com essa cultura, a qual a busca desesperadamente a sua identidade.
O Documento de Aparecida ainda afirma que: “A novidade dessas mudanças, diferentemente do ocorrido em outras épocas, é que elas têm alcance global que, com diferenças e matizes, afetam o mundo inteiro... Um fator determinante dessas mudanças é a ciência e a tecnologia, com sua capacidade de manipular geneticamente a própria vida dos seres vivos, e com sua capacidade de criar uma rede de comunicações de alcance mundial, tanto pública como privada, para interagir em tempo real, ou seja, com simultaneidade, não obstante as distâncias geográficas”. (Aparecida, 34).
E não há como a Igreja fugir ou se abster, é preciso dialogar com essa cultura, a qual busca desesperadamente a sua identidade (Puntel & Corazza, 2007, p. 35). Mas como estabelecer esse diálogo? Utilizando-se da própria comunicação, de forma organizada, ou seja, estabelecendo uma ação pastoral que obedeça a uma pedagogia, assim como Jesus Cristo, respeitando um processo de inculturação e encarnação da Mensagem. A autocomunicação de Deus continua se dando pelo anúncio da Igreja. Segundo Puntel e Corazza (2007, p. 28), “a pedagogia para uma ação pastoral enquanto processo implica conjugar, com arte, o trinômioIgreja-Evangelho-Cultura”.
Para tanto, não basta apenas querer, é preciso conhecer e entender a nova realidade e o lugar que se quer evangelizar. É o “lugar teológico” de atuação da Igreja. A mensagem de Cristo não pode ficar guardada ou restrita, mas deve ser anunciada a todos os povos, sem exceção, continuando a obra salvífica do Pai. É importante que as pessoas saibam que os valores do Reino podem ser vividos e não apenas idealizados.
Fonte: Andrey Nicioli                                                                                 Arquidiocese de Pouso Alegre
Via: A12

quinta-feira, 11 de junho de 2015

AS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS CATÓLICAS


Hoje em dia a mídia mundial nos coloca diversos conceitos sobre assuntos polêmicos, tais como: aborto, família, homossexualidade, casamento etc, de uma forma impositiva e muito bem arquitetada, tentando mudar nossa forma de pensar para uma que diverge radicalmente da doutrina da Igreja Católica, infringindo conceitos que ferem a nossa moral, nossa ética e o que é pior, o Evangelho de Jesus Cristo. 

Nessa verdadeira guerra de informações truncadas e manipuladas, muitos católicos ficam perdidos e confusos, sem saber qual a real posição da Igreja Católica, pois são literalmente bombardeados com conceitos escusos, mas muito bem defendidos pela mídia mundial.

No que acreditar? O que seguir? O que defender ? Podem se perguntar muitos católicos mundo a fora, já que a Igreja, em muitos casos não vem a público, através da mídias, para colocar e defender suas posições doutrinárias em defesa do Santo Evangelho. Mas, defende suas posições através de documentos, que são em sua maioria desconhecidos dos católicos, deixando assim um vazio em seus corações e mentes confusas.

A maioria dos católicos não sabe, também, que a Igreja Católica tem uma grande rede de informações, através de Agências de Notícias Católicas, que são de livre e fácil acesso, via internet, e que mantém a veracidade das notícias e o pensamento da Igreja sobre cada uma delas, servindo como orientação através de comentários à luz do Evangelho e da Doutrina Católica, dando assim, subsídios para que todos os católicos do mundo inteiro possam saber a veracidade dos fatos e a real posição da Igreja sobre cada um deles, e como devem defender, em cada caso, essas posições.

A seguir, visando ajudar a que os católicos procurem se informar sobre os assuntos mais polêmicos em fontes católicas e confiáveis, disponibilizamos uma relação das mais conhecidas Agências de Notícias Católicas, disponíveis na internet. 

São elas:
























segunda-feira, 8 de junho de 2015

PARADA GAY - SÃO PAULO 2015


Os homossexuais reclamam que são perseguidos e que sofrem violência por parte da sociedade. A Igreja católica, embora não aceite a prática do homossexualismo, não descrimina o homossexual e não aceita qualquer tipo de violência contra eles, muito menos incita qualquer prática de violência e discriminação contra qualquer grupo ou religião que não seja a católica, pelo contrário, está sempre buscando a convivência harmoniosa de todos.

Mas, como toda religião existente na face da terra, tem sua doutrina e conceitos de ética e moral, que devem ser seguidos por aqueles que pertencem a religião católica, não obrigando ninguém que não seja católico, a seguir seus preceitos religiosos, até porque, isso não seria possível nem aceitável.

Então, por que, as pessoas que não são católicas, se incomodam tanto com a doutrina católica, se elas não são obrigadas a cumprir seus preceitos?

Por que então, se sentem tão incomodadas?

E, Por que então, a Igreja é tão atacada por uma grande parte dos grupos homossexuais, se eles não são obrigados a cumprir com os preceitos cristãos?

A igreja, não aceita a prática homossexual, como também não aceita o sexo fora do casamento para os heterossexuais, como também não aceita o aborto, como também não aceita a eutanásia e tantas outras situações que não condizem com a sua doutrina, nos deixada por Jesus Cristo.

Diversos grupos homossexuais têm extrapolado nas suas demonstrações contra a Igreja católica, pelo mundo a fora, e aqui no Brasil, isso tem acontecido com frequência, como foi o caso da parada lgbt em São Paulo, nesse final de semana passado.

E depois, eles é que se dizem perseguidos...!

Eis algumas fotos de grupos homossexuais, ofendendo e ridicularizando a Igreja Católica.

Quem são os perseguidos e ofendidos nessa história ?









E o incrível, é que esses grupos que se dizem perseguidos e discriminados pela sociedade, têm grande apoio dessa mesma sociedade e dos políticos e governantes do nosso país. Do que eles estão reclamando então?
Só para dar uma idéia de como a coisa está, vejam o quadro abaixo, onde mostra uma recente estatística em relação aos assassinatos de homossexuais e cristãos pelo mundo e a respectiva importância que cada grupo recebe dos governos. 


Olhando o quadro acima, os cristãos é que deveríam estar nas ruas cobrando menos discriminação e denunciando a violência que sofrem no mundo todo, inclusive por parte de governos, ao invés de serem apoiados por eles, como acontece com os homossexuais.

Acho que já está na hora dos grupos homossexuais continuarem com suas lutas reivindicatórias, mas sem ofenderem e ridicularizarem a Igreja Católica ou qualquer outra que seja. Se acham suas reivindicações corretas e justas, que as façam e lutem por elas, mas deixem as religiões e o que é mais sagrado para milhões de pessoas em paz.

Que Deus abençoe a todos!